Terça-feira, 22 de agosto de 2017
Ano XXIX - Edição 1471
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Mulheres e as fases da vida

11/09/2015 - Por Arlete Salante
Tweet Compartilhar
Compreender que "cada fase da vida tem sua beleza" nem sempre é tarefa fácil. Passa pela aceitação da própria realidade, pela abstração da ditadura da juventude eterna, e principalmente, passa pela compreensão que a vida pulsa de outra forma.
A força pode estar sendo compreendida como incômodo porque na lógica cultural a força da mulher não foi compreendida, mas foi fixada em alguns modelos. Dentro disso há um sofrimento biológico e o reforço dos problemas femininos que atormentam a fase da maturidade para muitas mulheres.
 Investir em compreender a crise existencial requer coragem em se assumir como se é. Mas como saber como se é quando a consciência não é uma consciência de si mesma, mas apenas um reflexo do meio externo?
Mulheres
Dizem que...
Dizem que, a certa idade,
 nós as mulheres nos fazemos invisíveis.
Que nossa atuação na cena da vida diminui 
e que nos tornamos inexistentes para um mundo 
onde só cabe o impulso dos anos jovens.
Eu não sei se me tornei invisível para o mundo, 
mas pode ser.
Porém nunca fui tão consciente da minha existência como agora, 
nunca me senti tão protagonista da minha vida, e nunca desfrutei tanto 
cada momento da minha existência.
Descobri que não sou uma princesa de contos de fada; 
descobri o ser humano sensível que sou e também muito forte.
Com suas misérias e suas grandezas.
Descobri que posso me permitir o luxo de não ser 
perfeita, de estar cheia de defeitos, de ter fraquezas, de me enganar, 
de fazer coisas indevidas e de não corresponder às expectativas dos outros.
E a pesar disso.Gostar de mim
Quando me olho no espelho e procuro quem fui. 
sorrio àquela que sou.
Alegro-me do caminho andado, 
assumo minhas contradições.
Sinto que devo saudar a jovem que fui com carinho, 
mas deixá-la de lado porque agora me atrapalha. 
Seu mundo de ilusões e fantasias, já não me interessa.
É bom viver sem ter tantas obrigações.
Que bom não sentir um desassossego permanente 
causado por correr atrás de tantos sonhos.
"A vida é tão curta e a tarefa de vivê-la é tão difícil
que quando começamos a aprendê-la, já é hora de partir"
Blandinne Faustine




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/04/2016   |
08/04/2016   |
01/04/2016   |
24/03/2016   |
18/03/2016   |
11/03/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS