Quarta-feira, 23 de agosto de 2017
Ano XXIX - Edição 1471
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Crise econômica afeta mercado imobiliário

11/09/2015 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Com financiamentos mais restritos, sobram imóveis para a venda em Três de Maio. Porém, o momento também pode ser bom para quem quer investir em imóveis, devido ao poder de barganhar preços
Confiança e crédito são os principais fatores para o desenvolvimento do mercado imobiliário no Brasil. Desde o ano passado, entretanto, os consumidores têm se mostrado cada vez mais receosos em se comprometer com uma compra tão grande quanto um imóvel ou um processo tão longo quanto um financiamento imobiliário, diante de um cenário de recessão econômica e inflação em alta.
Neste ano, as dificuldades do setor foram acentuadas com a escassez de financiamento. A soma destes fatores causam impactos negativos no mercado imobiliário brasileiro, que registra queda vendas de imóveis residenciais e comerciais em quase todos os estados. 
Em Três de Maio, o cenário não é diferente. Segundo o corretor de imóveis Evandro Antonio Scherer, houve uma diminuição considerável nos negócios este ano, principalmente devido a falta de liberação de financiamentos bancários, que proporcionava uma grande parcela dos negócios. 
A mesma opinião é compartilhada por outro empresário do setor, Luís Loro, que revela que houve redução significativa de procura, isto porque a demanda era proveniente de créditos imobiliários que neste momento estão com juros muitos altos. "Por isto, os compradores deixam de investir na atual conjuntura econômica. Porém, num futuro bem próximo, os imóveis devem voltam a um bom valor, pois ainda existe carência de imóveis residenciais", avalia, estimando uma retomada no crescimento das vendas.
Para o corretor de imóveis Rubem Ricardo Kreher a crise, além de financeira é política. Segundo ele, a falta de crédito para alguns tipos de financiamentos habitacionais afetou na compra e venda de casas, mas principalmente terrenos.
Queda nos negócios
Entre os corretores de imóveis consultados pelo Semanal, a maioria revela que há uma queda que varia de 20 a 50% na venda de imóveis na comparação aos últimos dois anos, período que o mercado imobiliário estava mais aquecido. Com relação a locação, a residencial estabilizou, havendo declínio somente na locação comercial.
Desistência ou devolução 
Embora o cenário de instabilidade, de acordo com os corretores, até agora não houve desistência de locação de salas comerciais. Mas, segundo o corretor Evandro, as dificuldades são grandes de um modo geral pois existe uma expectativa de como vai se comportar o mercado. "Os investidores estão aguardando oportunidades e analisando o mercado com mais cautela", observa, lembrando que, no momento, o mercado de imóveis em Três de Maio existe poucos negócios e muita especulação.
Sobram os mais caros para venda
No momento, sobram mais imóveis residenciais para a venda, com valores mais elevados. Conforme a corretora Neusa Santos, existe uma quantidade maior de oferta do que em anos anteriores. Já o corretor Gerson Ceccon revela que a maioria destes imóveis está na faixa de valor que não é passível de financiamento, pelas exigências dos agentes financeiros.
Kreher enfatiza, que a procura de imóveis de menor valor existe, mas somente aqueles em os proprietários baixaram o valor, e que tem mais possibilidade de negociação. "A procura é de investidores que estão resgatando crédito investidos na Poupança". 
Mais comerciais para locação
Na locação, sobram mais imóveis comerciais. Conforme o corretor Roque Francisco Schmitz a maior demanda continua sendo por imóveis residenciais na locação, especialmente casas e apartamentos de um e dois quartos com garagem, onde em muitas imobiliárias há fila de espera.
Segundo os corretores, no atual cenário, um imóvel demora, em média, seis meses para ser comercializado. E, na maioria dos casos, eles são locados até que a venda aconteça.
Inadimplência na locação é baixa
Sobre a inadimplência nos imóveis locados, os corretores informam que ainda está controlada. Em algumas imobiliárias, os inquilinos estão "avisando" que vão demorar mais para quitar o aluguel do mês, e em outras, a inadimplência não passa de 5%. 
Barganha facilita a compra
Questionados se esta é a hora certa para comprar imóveis, pois o poder de barganha pode facilitar a compra, os corretores de imóveis foram unânimes em responder que sim e que o imóvel ainda é o melhor negócio.  "Investir em imóveis é ter valorização imediata do capital aplicado, e com potencial de crescimento de no mínimo 30%, porque está sendo visado por investidores de fora que estão aplicando recursos em nossa cidade" afirma Cecon. 
Para Loro, o imóvel sempre foi e sempre será um negócio seguro, sem riscos, com pequenas oscilações e boa rentabilidade. 
Conforme os corretores, alguns imóveis baixaram o valor de venda, mas a maioria se mantém ainda no mesmo valor.
Cidade em desenvolvimento atrai investidores
A corretora de imóveis Neusa Santos conta uma curiosidade. Segundo ela,  muitas pessoas estão retornando a residir em Três de Maio, proporcionando assim procura por imóveis para locação e até para a compra. "Talvez pela violência das grandes cidades, custo de vida e demissões", opina. 
Kreher aponta que a oferta de bons educandários, com cursos e graduações de qualidade e a possibilidade de empregos no município também favorece a procura por imóveis para locação. 
Por outro lado, Ceccon assinala que a cidade está em pleno desenvolvimento e é considerada um polo de investimento. 
--------------------------------------------------
Conforme a Associação Brasileira 
das Entidades de Crédito Imobiliário 
e Poupança (Abecip), os 
empréstimos para compra de 
imóveis desabaram 43% em julho 
em relação a um ano atrás, e o total 
de pedidos e financiamentos 
aprovados caiu pela metade.






Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

18/08/2017   |
28/07/2017   |
28/07/2017   |
28/07/2017   |
14/07/2017   |
23/06/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS