Domingo, 25 de junho de 2017
Ano XXIX - Edição 1462
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Psicologia na Prática

16/10/2015 - Por Arlete Salante
Tweet Compartilhar
Crises individuais, sociais, conjugais, profissionais, políticas, econômicas...
Crises trazem angústias, inseguranças e incertezas. Mas, são oportunidades de desenvolvimento e crescimento. Com coragem e humildade é possível rever a si diante da situação instalada.
 Na educação não é diferente. Aos profissionais da educação que se veem presos ao modelo educacional vertical, muitas vezes deixando poucas alternativas para realizar a atividade profissionalmente, as crises tornam-se frequentes.
Enfrentar uma crise dentro de um processo de psicoterapia traz saídas inimagináveis. Enfrentar os limites, os medos e os fantasmas da mente para dar espaço à força de ação é uma saída para ser considerada. O medo de enfrentar as crises ainda é mais comum e assim, às pessoas optam por negligenciar os próprios sentimentos. Desconsideram sonhos e fantasias que são fenômenos do psiquismo. São linguagens aparentemente desconhecidas, mas claras na realidade da alma. Quanto mais o sujeito se conhece, mais fácil para ele perceber os filmes que rodam na sua mente, seja dormindo ou acordado.
As crises camufladas ativam um estado de negatividade que promovem críticas agressivas aos outros. Negar a crise que acontece dentro de si mesmo é negar-se a uma autocrítica. A crise dos sistemas também é uma crise dos indivíduos que a ele pertencem. Cada um traz a sua parcela de contribuição ou de estagnação.
Quem evita dar-se conta que está em crise e não admite enfrentá-la, prossegue alienado de si mesmo e subtraído da própria interioridade, logo da própria força de vida. E amanhã, o que será? E depois, quando não há mais tempo ou condições de compreender e mudar realidade?
Os desafios dos professores são muitos e faz-se necessário desenvolver a capacidade psíquica de transcendê-los para realizar-se no ofício.  É preciso renovar o ânimo para renovar o próprio fazer em sala de aula. Cada crise bem compreendida é um limite ultrapassado. Quando a mudança vem do interior de cada pessoa, o fazer aos outros se torna leve e gera autorrealização.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/04/2016   |
08/04/2016   |
01/04/2016   |
24/03/2016   |
18/03/2016   |
11/03/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS