Quinta-feira, 15 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Crise

20/11/2015 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Célio Pezza*
Crise é a palavra do momento no Brasil. Temos crise política, econômica, moral, elétrica, hídrica, desemprego crescente, ausência do governo, enfim, o cenário está confuso. Para alguns, a punição de ladrões do caso Mensalão, Petrolão e muitos outros virou atentado à democracia, e os partidos que buscam instituir um governo socialista, pregam a violência e a conturbação social.
Os que querem a saída de Dilma e uma investigação séria sobre Lula, só pedem que a lei seja cumprida, diferente dos outros, que pregam até a luta armada para não sair do poder. Faz sentido, pois eles não sabem o que é construir o progresso na paz. Aprenderam a promover o confronto e dizem que quem não está alinhado com suas ideias precisa ser destruído.
Assim foi o discurso de Lula que, durante um ato em defesa da Petrobras, convocou o "exército de Stédile (MST) para ir para as ruas com armas nas mãos". Podemos entender que isso é uma confissão de que existem armas ilegais nas mãos desses grupos.
Mais recentemente, Mauro Iasi, professor da UFRJ, militante do PCB, fez um discurso durante o 2º Encontro Nacional da Central Sindical e Popular, onde defendeu o fuzilamento dos opositores do socialismo, citando Bertold Brecht. Para ele, esses conservadores precisam de "um bom paredão, uma boa espingarda, uma boa bala, uma boa pá e uma boa cova". Quem quiser ver o discurso todo é só procurar na internet. Para qualquer um que saiba interpretar um texto, isto significa promover uma intimidação e pregar uma revolução comunista no país.
No Caderno das Resoluções desse mesmo evento, um parágrafo mostra o pensamento desses grupos, bem ao estilo do Estado Islâmico, quando afirmam com vigor uma posição pelo fim do Estado de Israel, segundo eles, uma "criação artificial das Nações Unidas e do imperialismo norte-americano".
Intolerância contra todos que discordam de suas ideias é o perfil desses grupos antidemocráticos, sempre em nome dos "trabalhadores". Esses são os verdadeiros golpistas que pregam o ódio, a luta de classes e vão contra a verdadeira democracia e o Estado de Direito. Como disse o jornal britânico Financial Times, em um recente editorial, a incompetência, arrogância e corrupção abalaram a magia do Brasil.
Os brasileiros livres e de bons costumes têm o dever de lutar contra a ignorância, a mentira, o fanatismo, a corrupção e restaurar essa magia do bem-estar para o nosso país. 
*Colunista, escritor e autor de diversos livros, entre eles: As Sete Portas, Ariane, 
A Palavra Perdida e o seu mais recente A Tumba do Apóstolo. 




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS