Sábado, 24 de junho de 2017
Ano XXIX - Edição 1462
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

O patinho feio

27/11/2015 - Por Arlete Salante
Tweet Compartilhar
   A história do patinho feio contém profundos aspectos psicológicos e traz uma verdade fundamental para o desenvolvimento humano: as pessoas diferentes. A história promove reflexões e apoio a sucessivas gerações, incentiva a aguentar e procurar sua turma ou descobrir seu próprio grupo.
   O tema do exílio é central em muitos contos de fadas e mitos. Nesse tipo de relato, o personagem central é torturado por acontecimentos alheios à sua influência, muitas vezes tendo como origem um esquecimento fatal. Uma metáfora dos fatos vividos em culturas fechadas, grupos familiar, profissional ou social através de fofoca, bullying ou preconceito. 
   As meninas que demonstram ter uma forte natureza instintiva muitas vezes passam por sofrimentos significativos no início da vida. São "domesticadas" e ouvem dizer que são inconvenientes ou teimosas. Elas são curiosas, habilidosas e possuem excentricidades leves, características estas que, se desenvolvidas, constituiriam a base para sua criatividade para o resto das suas vidas. Considerando-se que a vida criativa é o alimento para a alma. 
   A natureza as provê de força, mas nem sempre existem condições ou educação para desenvolvê-la. As meninas que demonstram ter uma forte natureza instintiva, quando adultas trazem soluções criativas, ideias arrojadas, desejo de contribuir, buscam melhorias e tem soluções alternativas e mais abertas. Mas, são desprovidas da maldade alheia. É comum serem exiladas ou terem suas asas podadas pelos mais velhos, de mentalidade ou de idade. Pensar, ser ou propor o diferente da cultura local torna-se um incômodo porque desacomoda. A rigidez psíquica é intolerante aos "diferentes".      Para os "diferentes" fica o aperto no coração pela incompreensão alheia e por ser rejeitado por sua própria gente.
   Mas, o patinho feio também simboliza a natureza selvagem, que, quando forçada a enfrentar circunstâncias pouco propícias, luta instintivamente para continuar a viver, apesar de tudo. A natureza selvagem sabe instintivamente aguentar e resistir, às vezes com elegância, às vezes parecendo um pato desengonçado. A continuidade é uma das suas maiores forças.
       "Que surpresa! Na imagem na água ele viu um cisne em traje a rigor: 
plumagem branca como a neve, olhos escuros e tudo o mais. 
O patinho feio a princípio não se reconheceu porque era exatamente igual aos belos estranhos, 
igual àqueles que ele havia admirado de longe. 
E acabou se revelando que ele era um deles. 
Seu ovo por acaso havia rolado para um ninho de patos. 
Ele era um cisne, um cisne magnífico. 
E pela primeira vez sua própria família se aproximava dele, 
tocando-o com cuidado e carinho com as pontas das asas. 
Eles lhe limparam as penas com seus bicos 
e nadaram muito ao seu redor para cumprimentá-lo."
   Compreender os instintos psíquicos e encontrar sua turma traz a sensação da integração, que é vivida como uma bênção. Mas para isso, é preciso perder menos tempo com aquilo que falta e se dedicar mais tempo à procura das pessoas, ambientes e situações com quem você se sinta bem.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/04/2016   |
08/04/2016   |
01/04/2016   |
24/03/2016   |
18/03/2016   |
11/03/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS