Sábado, 21 de outubro de 2017
Ano XXIX - Edição 1479
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Microagulhamento

11/12/2015 - Por Yara Lampert
Tweet Compartilhar
Indução Percutânea de Colágeno
A cada momento, surgem novas técnicas relacionadas à estética. 
O mercado e as demandas não param. 
Microagulhamento - Indução Percutânea de Colágeno é um procedimento novo, o queridinho das celebridades. 
Para falar sobre esta técnica, entrevistei a farmacêutica Charline Fernanda Backes, 
Mestre em Ciências Farmacêuticas pela UFRGS e especialista em Farmácia Estética pelo Instituto Nepuga. 
O procedimento vem sendo agendado e realizado por Charline no Consultório Dermato-Funcional de Daniela Lorenzoni.

O que é microagulhamento? 
Trata-se de um tratamento minimamente invasivo que utiliza um sistema de rolamento composto por centenas de microagulhas finas e delicadas, que podem variar em comprimento (0,25 mm a 2,5 mm). A escolha das microagulhas é realizada de acordo com o tipo de tratamento desejado. 
Qual é o mecanismo de ação?
Tem como efeito estimular os fatores de crescimento da pele, que mobilizam os fibroblastos a aumentar a produção de colágeno e elastina, reestruturando e reorganizando as fibras internas, auxiliando na manutenção da arquitetura da pele e dos níveis ideais de colágeno, bem como impulsionar o processo de regeneração natural. 
Dessa forma, o microagulhamento promove o rejuvenescimento da pele, e a formação de novos vasos sanguíneos, melhorando a circulação sanguínea, aumentando o suporte nutricional e de oxigênio, o que acelera a eliminação de toxinas. A regeneração ocasionada pelo microagulhamento melhora a textura da pele, atenuando cicatrizes, rugas, linhas de expressão, manchas, entre outros benefícios.
Como é realizado o procedimento?
Após a aplicação de um anestésico (creme ou pomada) a região estará pronta para o procedimento de assepsia e rolagem das microagulhas. Estas penetram na pele por inúmeras vezes, gerando microlesões e levando a formação de microcanais que possibilitam a reação das células e a liberação de fatores de crescimento (TGF, PDGF, FGF, VEGF). Estes fatores de crescimento proporcionam a proliferação de células indiferenciadas, resultando em neocolagênese e neoangiogênese. Desta maneira, novas estruturas de tecido são geradas, em forma de elastina e fibras de colágeno, assim como novos capilares que se integram à camada superior da derme, sem qualquer vestígio de fibrose. Os novos fibroblastos e capilares migram através do tecido cicatricial gerado pela perfuração das microagulhas, ocasionando a formação de nova pele que preencherá as antigas cicatrizes atróficas, criando um novo tecido, rico em elastina e colágeno, resultando em uma pele mais firme, uniforme e saudável. Os novos capilares formados permitem um melhor suprimento de sangue e consequente melhor pigmentação da pele.
Quem pode aplicar?
O microagulhamento deve ser realizado em consultório, por médicos dermatologistas, farmacêuticos estetas e fisioterapeutas dermatofuncionais, com especialização na técnica.
E quanto aos resultados?
A indução da produção de colágeno e elastina proporcionada pelo microagulhamento, é observada de 4 a 8 semanas após a primeira sessão de tratamento. O paciente percebe significativa melhora das rugas, cicatrizes, melanoses e problemas de pigmentação, tendo sua pele com aspecto notadamente rejuvenescido. 
Estudos realizados na Alemanha demonstraram um crescimento exato de 1000% de fibras de elastina e colágeno, comparando biópsias de pele após 6 semanas do procedimento com biópsias de pele sem microagulhamento, tendo como resultado a formação de novo colágeno em até 0,6 mm de profundidade.
Quando é indicado?
- Aumento da penetração e ação de substâncias ativas;
- Melhoria na textura da pele;
- Espessamento da epiderme;
- Resurfacing da pele;
- Pele danificada pelo sol;
- Hipo ou hiperpigmentação;
- Poros dilatados, produção sebácea excessiva;
- Rugas (leves, médias e profundas);
- Flacidez
- Estrias;
- Cicatrizes, inclusive de acne e de queimaduras;
- Alopécia.
Tem contraindicações?
O microagulhamento é contraindicado para pessoas com tendência a quelóides, lesões cancerígenas, dificuldades de cicatrização, com acne ativa, pacientes em uso de anticoagulantes e, rosácea.
Quantas sessões são recomendadas?
Usualmente são indicadas de 3 a 6 sessões de tratamento, com intervalos de 4 a 8 semanas cada.
Quais as vantagens?
Diferente de outros tratamentos, este tratamento não provoca nenhum grande trauma na pele. O produto propicia o aumento do nível de colágeno nas camadas da derme, sem machucar ou remover a epiderme, tornando-a mais flexível e de melhor qualidade, suavizando as cicatrizes em conformidade com o poder de regeneração natural. No caso de uso associado com outras soluções, alguns resultados poderão ser potencializados.
Existem riscos de contaminação?
Não. Graças à elevada qualidade das agulhas e à esterilização por raios Gamma, este produto é livre de contaminação por bactérias. O equipamento que utilizamos possui as certificações da ANVISA (80986180002). É importante ressaltar que o roller é de uso único




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

13/10/2017   |
06/10/2017   |
29/09/2017   |
22/09/2017   |
15/09/2017   |
08/09/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS