Domingo, 16 de dezembro de 2018
Ano XXX - Edição 1537
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Agricultores familiares recebem Pronaf Investimento Especial

11/10/2012 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
A união faz a força. Foi assim que o casal de agricultores de São Caetano, José e Marina Turra definiram o auxílio proporcionado pelo Banco do Brasil com apoio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Três de Maio e São José do Inhacorá e Emater/Ascar-RS. O casal foi um dos cinco primeiros a assinar, na sexta-feira, dia 5, no Banco do Brasil, agência de Três de Maio o Pronaf Investimento Especial.
Os outros agricultores a assinaram na ocasião foram Cristiano Alf, Derli Altíssimo, Luis da Silva Ladvig e Mauri Dietrich.
O que é? 
Este auxílio é uma linha de crédito de investimento para agricultores familiares atingidos pela estiagem em municípios que decretaram situação de emergência devido. 
Como funciona?  
O Pronaf Investimento Especial tem teto de R$ 10 mil reais, juros de 1% ao ano e prazo de dez anos para pagamento, com carência de até três anos. Além do bônus de adimplência: 20% sobre o valor de cada parcela paga até a data de vencimento. 
Para que serve? 
A linha permite o financiamento de investimentos destinados à reconstrução e revitalização das propriedades atingidas pela estiagem; implantação de projetos de irrigação; implementação de práticas de uso, manejo e conservação do solo e da água; formação e melhoria de pastagens, produção e conservação de forragem destinada à alimentação animal e outros investimentos recomendados em projeto técnico.
Como acessar o crédito?
O prazo para a contratação das operações se encerra em 31 de janeiro de 2013.Como ponto de partida, o agricultor interessado deve procurar o Sindicato ou Cooperativas de Produção envolvidas, que orientará sobre as possibilidades de financiamento e as demais condições. Havendo um enquadramento prévio, a listagem passa para o Banco do Brasil, que faz as verificações cadastrais internas e retorna informando sobre a possibilidade de acolhimento da proposta. A partir daí, passa para a assistência técnica, preferencialmente da Emater, para a elaboração dos projetos. Comprovando-se a viabilidade técnica e econômica do projeto, a proposta é acolhida no Sindicato pelo convênio e é processada a contratação.
Delmar Schwaab, gerente geral do Banco do Brasil em Três de Maio ressaltou que essa linha de crédito liberada pela instituição é uma reivindicação dos agricultores feita por meio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e que a Emater e o banco vêm auxiliar. "Passamos por um ano com muitas intempéries, seca, geada e granizo e viemos dar uma boa notícia, pois o crédito possui juro baixo, além de bônus, mesmo que o valor não seja muito alto", disse Delmar.
Na hora certa
Filhos de agricultores, o casal Turra sempre trabalhou na agricultura e pecuária e conta que o auxílio vem em boa hora. "Dependemos da sorte e do tempo, somos esperançosos, mas sempre vêm as intempéries e mesmo assim não desanimamos. Além disso, temos entidades como essas que nos ajudam nas piores situações", afirmou Marina.
Pedrinho Signori, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Três de Maio e São José do Inhacorá, afirmou a importância do Pronaf Especial. "Essa linha de crédito foi trabalhada por um longo período, portanto temos uma preocupação que este recurso seja investido realmente aonde venha trazer renda e viabilizar a propriedade".
Assim como ele, Nelci Recalcati, chefe do escritório da Emater em Três de Maio, também lembrou a necessidade de que o valor seja investido em área produtiva para melhorar as condições de renda dos agricultores.
José e Marina pretendem investir o recurso na recuperação e manutenção do solo, melhorando a fertilidade da terra o que resultará em boa produtividade e retorno para a produção de leite, soja, milho e trigo.
BB libera R$ 10  milhões no RS
Desde quinta-feira, dia 4, o Banco do Brasil, em todo o Estado, iniciou a liberação do primeiro lote de mil operações de Pronaf Investimento Especial para produtores. A ação representa R$ 10 milhões liberados e beneficia agricultores familiares localizados nos municípios que decretaram situação de emergência ou estado de calamidade em função de eventos climáticos adversos. 
 A expectativa do Banco é atender em torno de 40 mil produtores gaúchos, em grande parte filiados às entidades representativas da agricultura familiar (Fetag, Fetraf, MPA e Cooperativas de Crédito e Produção).

Prazo de renegociação de dívidas do Crédito Fundiário e Banco da Terra é estendido
O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou o adiamento do prazo de adesão da resolução 4029 - que permite a renegociação das dívidas de financiamento do Programa de Crédito Fundiário e Banco da Terra. O prazo que venceria no fim de setembro passou para 28 de março de 2013, dando ao agricultor inadimplente mais tempo para se estruturar. 
Outras melhorias no processo de renegociação previsto pela resolução 4029 estão sendo discutidas pelo governo. Se aprovadas, vão proporcionar melhores condições de renegociação dos contratos vencidos e, portanto, permitir que mais agricultores tornem-se adimplentes e voltem a acessar as políticas publicas de custeio e sociais. 
Outra importante medida, ainda em vigor, é a Resolução nº 4.128, que atende aos agricultores de projetos de Crédito Fundiário (PNCF), de municípios que decretaram estado de emergência ou calamidade, decorrente de fenômenos climáticos (enchente ou estiagem). A resolução prevê o adiamento automático, em um ano, da parcela vencida desde 01/12/11 e vincendas até 31 de dezembro 2012, beneficiando milhares de agricultores do PNCF, de diferentes regiões do Brasil. 

José e Marina Turra de São Caetano trabalham com leite,
 trigo, milho e soja. O casal investirá o recurso
em recuperação de solo




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

28/09/2018   |
27/07/2018   |
18/05/2018   |
27/04/2018   |
02/03/2018   |
14/07/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS