Quinta-feira, 15 de novembro de 2018
Ano XXX - Edição 1533
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A odiada

12/02/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Gustavo Griebler*

Nela é tratada com um misto de raiva, adoração, desconfiança, concordância, entre outros sentimentos. Algumas vezes subimos nela como se estivéssemos subindo no pódio para receber o troféu de campeões, outras vezes a perna pesa e o que menos queremos é subir nela. Nossa expressão facial pode mudar de um segundo para o outro passando de um sinal de amor para um sinal de ódio pelo simples fato de um número expresso em uma máquina. Após todas estas dicas, é óbvio que estamos falando da balança. Esta máquina pode despertar pulos de alegria, "bicudos" de raiva, entre outros.
Engordar e emagrecer fazem parte do ser humano. Já experimentei os dois. Já emagreci muito e engordei muito. Não sei qual é meu peso inicial. Já fiquei por muito tempo (sempre considerando tudo a partir dos 18 anos) na casa dos 60 quilos, por um breve período na casa dos 70, um longo período na casa dos 80. E tenho a confessar que nos últimos tempos perigosamente (segundo o índice IMC) estou nos 90. Quero também confessar que quero voltar para os 80, porque os 90 me deram um negócio meio feio que os 80 já tem mas que se torna mais saliente nos 90 que é a barriga.
Sobre este processo de perda de peso que já iniciei fortemente pela segunda vez, existem fases a serem cumpridas. A primeira é a estabilização. Não se pode mais ganhar peso. Tem de haver um peso inicial para depois ser comparado para se ver quanto se perdeu de peso. Depois disso inicia-se o processo mais longo e doloroso. Você inicia uma dieta orientado ou não por nutricionista na qual come mais vezes e em menos quantidade, exatamente o que não fazia antes. Além disso, começa ou continua seus exercícios físicos. No caso de continuar tem que pegar mais pesado. Caminhar em forma de passeio é proibido.
Os primeiros quilos são os mais fáceis de eliminar. Você perde cinco quilos e nem vê. O sexto quilo em diante começa a ser difícil e cada 100 gramas a menos são comemoradas como um título, porque você já está engajado na causa. Aí você perde um quilo e cada vez que perde gramas parece que o suor é maior. Parece que a gordura virou pedra e você já está desistindo. Os dez quilos que você queria perder estão no sétimo e você fica por aí mesmo. A desculpa: pelo menos perdi sete quilos e a barriga diminuiu.
Aline e eu estamos engajados nesta. Aos 80!

* Mestre em Educação nas Ciências. Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico e Coordenador Geral de Ensino Substituto do Instituto Federal Farroupilha - Campus Avançado Uruguaiana



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

09/11/2018   |
19/10/2018   |
11/10/2018   |
05/10/2018   |
28/09/2018   |
21/09/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS