Segunda-feira, 23 de setembro de 2019
Ano XXXI - Edição 1575
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Coluna do J

07/03/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
SALVE-SE QUEM PUDER- Dizem que o ano começa  depois do Carnaval, ou então depois do início das aulas,  que esse ano praticamente coincidiram. Então, estamos iniciando 2016. Mas, não esqueça, já se passaram 2 meses. Este ano promete. Desemprego, inflação, recrudescimento das crises econômica  e  política, mais corrupção.  E para arrematar, a Reforma da Previdência - que vai piorar -  e a volta da CPMF.  Tá bom assim, ou quer mais? E não  estou dizendo nenhuma novidade. Se você lê jornal, ouve rádio e vê televisão, tá  sabendo.

DE VENTO EM POPA- Um setor da economia não pode reclamar . Sob as bênçãos de São Pedro, a agricultura vive momentos  de fartura. A primeira safra de milho foi muito boa, a safrinha deve  repetir. A soja, nossa principal cultura, deve ter também uma grande safra. Some-se a isso os preços, tanto do milho quanto da soja, em patamares altamente compensadores. Mais uma vez, a agriculta será a âncora da economia brasileira.  

PORTA ARROMBADA, TRANCA DE FERRO- Foi preciso a febre chikungunia  e principalmente  o zika vírus, para o Brasil levar a sério o combate ao Aedes aegipty. Agora é guerra total contra  o mosquito, inimigo público número 1 . A microcefalia que atinge bebês ainda no ventre materno, foi a gota d'água. Se borrando de medo e na marra, a população está fazendo a sua parte . 

REPLAY - Todo ano  no início do ano letivo, a mesma  história. Ameaça de greve, paralisação e enfrentamento entre  governo e Cpers. Prejudicando  os estudantes e a educação. Enquanto estudantes das escolas particulares tem um ano letivo normal, completo e  bem aproveitado, os das escolas públicas sofrem. Lá na frente, a disputa  por uma vaga no ensino superior, será desigual. E mais adiante,  no mercado de trabalho. Quem paga o prejuízo de uma vida? Triste realidade.

PROFISSÃO DE RISCO- O grande problema do baixos salários do magistério é um só. O número de educadores. Cerca de 100 mil ativos e outros 100 mil inativos. Um aumento substancioso que todos que todos merecem, é inviável.  Quebra o Estado. Pra ser professor nessa triste realidade, é preciso ter muita coragem. É quase um sacerdócio.

CALIBRANDO - ASSIM QUE SE FAZ: Logo  que souberam que o laboratório do leite corre perigo, Casali e Flávio Magedanz rumaram para Brasília.  E o leão escancara a bocarra. TERRA sem lei, parece título, mas é a realidade do Rio Grande. SORRIA, você foi assaltado. JEEP COUNTRY o sucesso que se repete a cada ano. IMPACTO FULMINANTE é o que os contribuintes estão sentindo com a atualização  dos valores  da taxa de limpeza pública. Mas, se analisados com critério,  o valor é justo. TRISTE  realidade: pontos comerciais estratégicos desocupados no centro da cidade. DOUGLAS e BETINA, que a felicidade de vocês se renove todos os dias.

ÓTIMO FINAL DE SEMANA curtindo o rock progressivo do Pink Floyd,  dando um play na imortal "Another brick  in the wall".



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

23/12/2016   |
16/12/2016   |
12/12/2016   |
02/12/2016   |
25/11/2016   |
18/11/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS