Sexta-feira, 22 de março de 2019
Ano XXX - Edição 1549
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

24/03/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - TER FÉ - Quantas vezes no dia a dia se ouvem frases do tipo: "Não acredito nisso. Perdi a fé. Tudo isso é lorota". Não é preciso acreditar em tudo o que escrevem e o que dizem. Grande parte do povo perdeu a fé nos governantes e políticos. É porque os políticos e governantes não fazem aquilo que prometeram fazer, ou aquilo que deveriam fazer, como preveem suas funções. Só que nestes casos do dia a dia estamos falando de fé no sentido figurado. Isso não passa de crença. Fé no pleno sentido da palavra é acreditar em algo inexplicável. Ter fé em Deus. Quando vivemos momentos como os da Semana Santa, é preciso ter fé nos mistérios da encarnação, sem que haja a compreensão dos eventos. É possível entender como um Deus se torna homem para salvar a humanidade? Talvez, por esta razão e outras tantas razões, apenas um terço da humanidade acredita em Deus, na existência de um Deus. Preferem ser ateus. Justamente, porque não é fácil ter fé. É muito mais fácil achar que tudo isso é invencionice. Então a questão é: ter fé ou não ter fé. 
"A República cai, se empreiteiros decidirem colaborar com a Operação Lava-Jato". São palavras textuais do senador Delcídio do Amaral, que está atirando para todos os lados. 
DENUNCISMO - Estamos vivendo uma época de denuncismo. Inclusive, as administrações municipais estão sofrendo com isso, porque anônimos cidadãos e funcionários denunciam fatos e ocorrências ao Tribunal de Contas do Estado, muitas vezes as denúncias são levianas.. Quase sempre são picuinhas, que entregam colegas de trabalho, que precisam ser minuciosamente apuradas e justificadas. No tempo antigo era o que se chamava xereta.
DESEMPREGO - E o desemprego continua avançando. A população desocupada saltou para 8,6 milhões, no ano passado. A taxa de desemprego saltou para 8,5%. E o rendimento real ficou em R$ 1994,00, no ano passado, ou seja, 0,2% a menos que em 2014. 
UM SUSTO - Nos produtores de soja. A saca da oleaginosa caiu de R$ 80,00 para R$ 64,00 em plena safra. Tudo por causa da oscilação do dólar, que está num sobe-desce sem precedentes, tudo por causa das intrigas políticas. Quem fez a venda antecipada, acertou. 
O ANTIGO BOM - "As escolas ensinam a álgebra do seculo XVII e a aritmética do século XVIII. Levam ao aluno conhecimentos que um comerciante demandava para tocar seus negócios nos anos 1940." A colocação é de uma professora de matemática americana, Katherine Merseth., 70 anos. Isto quer dizer o quê? Quer dizer literalmente que o que é bom não importa se é antigo. Saudades daquela Matemática dos velhos tempos e do Português dos tempos idos. 
MAIS MILHO - Sim, é preciso plantar mais milho, porque já estamos importando o produto da Argentina, ao preço de R$ 45,00 a saca. 
"No Brasil é assim, quando um pobre rouba, vai para a cadeia. Quando um rico rouba, vira ministro". Essa frase é de autoria do ex-presidente Lula, dita, em 14 de fevereiro de 1988, quando era deputado federal pelo PT paulista e fazia oposição ao presidente Sarney.
UMA PÁSCOA FELIZ E DE PAZ!




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/03/2019   |
08/03/2019   |
01/03/2019   |
22/02/2019   |
15/02/2019   |
08/02/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS