Sexta-feira, 28 de abril de 2017
Ano XXIX - Edição 1454
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Evolução tímida no preenchimento de vagas

01/07/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Mercado de trabalho mostra pequena reação, mas balança 
permanece longe do equilíbrio

Embora até maio, na região, o número de contratações tenha superado o de demissões, mais de 1,4 mil novos empregos teriam de ser gerados para se alcançar o número de postos de trabalho que fecharam

Somando os quadros de nove municípios da região, o número de admissões no mercado de trabalho supera o de demissões nos primeiros cinco meses do ano. Porém, isso não é o bastante sequer para neutralizar o mau desempenho que houve em igual período do ano passado, e se torna ainda mais insuficiente para preencher o número de postos de trabalho fechados com que 2015 encerrou.
Os dados até maio deste ano são os mais recentes disponíveis no site do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social. Foram pesquisados os números de Alegria, Boa Vista do Buricá, Doutor Maurício Cardoso, Horizontina, Independência, Nova Candelária, São José do Inhacorá, Santa Rosa e Três de Maio.
Levantamento feito pelo Semanal no site indica que, no balanço entre empregos gerados e desligamentos nos nove municípios, houve, neste ano, até aqui, 5.378 admissões e 5.250 demissões, o que resulta num saldo positivo de 128. No entanto, na comparação com igual período do ano passado, quando foi registrado um saldo negativo de 298, há um déficit de 170 vagas - em 2015, de janeiro a maio, foram 6.568 admissões nestas nove cidades e 6.866 demissões.
Além disso, na região, o mercado dá mostras de que, caso venha a futuramente recuperar os postos de trabalho fechados em 2015, isso não ocorrerá tão cedo e será num processo gradual. Isso porque o ano passado foi encerrado com um déficit de 1.555 vagas e, de janeiro a maio de 2016, na diferença entre contratações e desligamentos, o saldo é 128 positivo - ou seja, são necessárias mais 1.427 admissões para que a balança seja pelo menos zerada. No dia 1º de janeiro deste ano, os nove municípios reuniam, no total, 34.345 empregos formais.

Comércio teve 33,16% das demissões
O comércio lidera as estatísticas dos setores que mais demitiram nos primeiros cinco meses deste ano. Em cada um dos nove municípios, o setor figura entre os dois primeiros em que mais houve desligamentos - é o líder dos números em cinco cidades. Das 5.250 demissões que o mercado de trabalho registrou, 1.741, ou 33,16%, foram de pessoas que trabalhavam no comércio.
Em segundo lugar vem o setor de serviços, com 1.505 demissões, ou 28,66% do total - lidera apenas em Horizontina, mas figura na segunda posição em Doutor Maurício Cardoso, Santa Rosa e Três de Maio.
Nos primeiros cinco meses deste ano, no geral, somando admissões e desligamentos em todos os setores, somente Boa Vista do Buricá, Horizontina e Independência tiveram mais demissões do que contratações. Os nove municípios que integram o levantamento se dividem em pertencentes às microrregiões de Santa Rosa, Três Passos e Ijuí.

Empresas estão se adequando, com remanejamento de funcionários, demissões e corte de custos, à nova realidade do mercado, que registra queda na demanda por produtos

FOTO: MURIAN CESCA

Confira a matéria completa no jornal impresso




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

13/04/2017   |
31/03/2017   |
03/03/2017   |
17/02/2017   |
17/02/2017   |
10/02/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS