Terça-feira, 25 de setembro de 2018
Ano XXX - Edição 1526
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Coluna do J

05/08/2016 - Por J Moraes
Tweet Compartilhar
CERCADO DE GRANDE EXPECTATIVA começa oficialmente nesta sexta-feira um dos maiores espetáculos do planeta. As Olimpíadas dos tempos modernos vêm se transformando, ao longo do tempo, em um acontecimento sem nada similar. Segundo estimativas dos organizadores, mais de 4 bilhões de pessoas ao redor do mundo vão  acompanhar os jogos. 
DURANTE 3 semanas estaremos acompanhando o desempenho e a superação de superatletas já conhecidos e o surgimento de outros. Certamente serão muitas quebras de recordes e também de frustrações. Mas com certeza o saldo será positivo. Serão momentos inesquecíveis. 
COMO A MAIORIA dos brasileiros, sou contra realização das Olimpíadas no Brasil. Um país com tantas necessidades básicas em saúde, educação, segurança, não poderia se dar ao luxo de realizar um evento tão grande e tão dispendioso, onde só um estado está sendo beneficiado. Mas agora não adianta reclamar mais. Só nos restar torcer para que seja uma grande confraternização entre os povos. Que tudo transcorra na mais absoluta normalidade e sirva de exemplo contra a violência e a intolerância sem limites que campeia mundo afora. 
O MOVIMENTO separatista que começa a ressurgir timidamente poderia ser uma solução para  os problemas desse imenso e incontrolável país. O tamanho do Brasil é um entrave para o seu desenvolvimento. Com suas dimensões continentais, as dificuldades de gestão são enormes e um grande desafio. Manter uma gigantesca máquina pública, historicamente mal administrada, além de ser um convite a corrupção, exige uma pesada carga tributária, com grande sacrifício da população.
COM A PRETENDIDA separação da região Sul, muita coisa poderia mudar.   A começar pelo fato de os três estados do sul estarem entre os mais prósperos do país. É um grande celeiro, produzindo grande parte do que se consome no país.  Sem falar na questão  logística, que seria amplamente  favorecida. Como se vê, as vantagens seriam muitas. Até poderia haver desvantagens, mas certamente as vantagens seriam compensadoras. É claro que essa pretensão, pelo menos por enquanto, é utópica e visionária.
EXPECTATIVA para o início da campanha eleitoral. Além das mudanças na lei eleitoral, os acontecimentos de Brasília deverão ser explorados. Ninguém está isento, praticamente todos os partidos em maior ou menor grau estão envolvidos. O importante é não abusar e usar o farto material, na medida certa. Vai depender muito da competência e da criatividade dos marqueteiros.       
NEGO CERESER E MÁRIO MACHADO, PP e PMDB, respectivamente, formarão a chapa situacionista na corrida ao palácio municipal. Dois políticos experientes que tentarão dar sequência a administração do prefeito Olívio Casali. Por outro lado, Altair Copatti tentará voltar à testa do executivo municipal. Fatalmente, haverá comparação entre os 8 anos de Casali e os 8 anos de Copatti. Quem tiver uma melhor avaliação poderá levar vantagem. 
CALIBRANDO - O IMPEACHEMENT está travando o andamento do processo de migração das rádios AM. APLICATIVO vai facilitar a fiscalização dos gastos dos deputados. MAIS DE 100 prefeitos gaúchos não estão conseguindo pagar o salário dos servidores em dia. FILA DO DESESPERO: Já temos 12 milhões de desempregados. ELEIÇÕES 2016: somos 140 milhões de eleitores. 52% são mulheres.  CERCA de 88 mil agentes cuidarão da segurança nos Jogos Olímpicos.  
ÓTIMO FIM DE SEMANA, torcendo por um solzinho amigo, curtindo Doobie Brotheres  dando um play "Listen to the music".




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

23/12/2016   |
16/12/2016   |
12/12/2016   |
02/12/2016   |
25/11/2016   |
18/11/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS