Terça-feira, 21 de maio de 2019
Ano XXX - Edição 1558
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

12/08/2016 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - POBREZA NÃO É DEMÉRITO - Claro que ninguém quer ser pobre. Mas ninguém que nasce pobre é culpado. Por isso, nada impede que algum dia o filho pobre possa deixar a pobreza para trás. Existem muitos exemplos de pobres que venceram na vida. Temos muitos casos de vitoriosos em todos os segmentos. Quantos atletas venceram, já que estamos em tempos de Olimpíadas e, hoje, são afortunados e afamados. Ou vocês acham que Neymar nasceu rico? Alguém acha que Pelé nasceu em berço de ouro? Por isso, não é preciso se envergonhar se o destino não reservou um berço de ouro. O que é vergonha é enricar à custa do alheio. E nem é preciso ser rico para ser feliz. Mas feliz de quem vence pelo trabalho e pela honestidade. A vida pode ser construída do zero à extrapolação dos limites normais. Basta a dedicação e a capacidade inata. Mas quem se deixa tomar pela inércia não vai a lugar algum. Por isso, sonhar é bom, mas é preciso perseguir tenazmente o sonho. Só o sonho bonito não abre a porta para ninguém. A conquista do sonho é que abre a porta. 
PREVISÃO É PREVISÃO - É preciso entender que em economia previsão é previsão. É como a previsão do tempo: nem sempre dá certo. A previsão da inflação de 2016 é de 7,21% e, em 2017, está sendo previsto que a inflação caia para 5,20%. E a expectativa do PIB para 2017 é de crescimento de 1,1%. São, pois, previsões otimistas. E melhora a perspectiva de investimentos no país. E, neste ano, o PIB vai cair menos do que o previsto inicialmente. 
O SUCESSO DO SONHO OLÍMPICO ESTÁ NO TREINO E NA DEDICAÇÃO, SOMADO À CAPACIDADE. 
PRODUTOS SOBEM - Os consumidores se assustam quando vão fazer compras no supermercado. Tudo porque produtos de consumo de primeira necessidade, como feijão, arroz, leite, batata e carne, sobem muito. São produtos sazonais e os preços dependem da oferta. Os principais produtos de consumo que encareceram é devido à baixa oferta, ocasionado por problemas climáticos. O consumidor precisa buscar alternativas, comprando produtos com preços mais acessíveis. Tão logo melhorar a oferta desses produtos, os preços se acomodam. 
ÁREAS DE PLANTIO CRESCEM - Motivado pelos bons preços, as áreas cultivadas de soja e do milho na safra 2016/2017 devem crescer. Na presente safra, muitos produtores estão optando pela cultura do milho em detrimento da soja, para arriscar a plantação de soja na safrinha. Pode dar certo como pode não dar certo, porque passado o El Niño, podemos ter escassez de chuva com a chegada do La Niña. O difícil é acertar a mão na agricultura. 
"OS BRASILEIROS GOSTAM DE TERMINAR AS COISAS NO ÚLTIMO SEGUNDO." A frase é de Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional. 
Qual o nosso maior inimigo? O mosquito da dengue ou o corrupto? Vale uma propina quem acertar. 
QUEM DIRIA - O feijão e o leite pressionam a inflação. É preciso ordenhar mais e plantar feijão. De fato, o feijão aumentou 22,42% e o leite subiu 17,45%, em julho. E a alta da cesta básica foi de 0,81%. O feijão e o leite são os vilões da inflação. Até a banana resolveu valorizar-se.
A QUESTÃO É QUERER OU PODER. Há os que podem e não querem e há os que querem e não podem. Então, vamos corrigir o provérbio: Querer é poder, porque existem os que travam o querer.



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/05/2019   |
10/05/2019   |
04/05/2019   |
26/04/2019   |
12/04/2019   |
05/04/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS