Quarta-feira, 26 de setembro de 2018
Ano XXX - Edição 1526
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Coluna do J

26/08/2016 - Por J Moraes
Tweet Compartilhar
CONTRA TUDO e contra todos, o Brasil realizou uma grande olimpíada. Elogios vieram de todos os lados. A exemplo da Copa do Mundo, o povo brasileiro se superou. Se antes todo mundo duvidava de nossa capacidade, depois sobraram elogios. Agora é só pagar a conta. O Rio de Janeiro vai continuar faturando os benefícios e o resto país vai continuar pagando a conta por muito tempo.
TÃO importante quanto uma moderna unidade de atendimento de urgência e emergência, é ter médico para atender e dar fluxo normal à demanda. Enquanto tivermos apenas um médico plantonista por turno para atender dezenas de pacientes, não vai funcionar a contento. É comum pacientes esperarem 2 ou 3 horas para  serem atendidos.
A CAMPANHA política mais estranha, sem graça e silenciosa das últimas eleições vai para a segunda semana. Por enquanto, sem nada de novo. A impressão é que até os candidatos estão meio perdidos, aguardando alguma coisa. Certamente os bastidores estão fervilhando. Os comícios e reuniões devem começar na próxima semana.
A NOTÍCIA de que a Ponte Internacional seria construída em Porto Xavier mexeu com as lideranças políticas e empresárias da região. Todos sabem, ou pelo menos deveriam saber, que apenas uma ponte deverá ser construída na região, e todos a querem. É a história dos burrinhos e os montes de feno. Enquanto cada um puxar brasa para o seu assado, nada feito.
A PARTIR do momento que todos sentarem juntos e em comum acordo definirem um local, aí dá pra começar a acreditar. Com certeza teremos essa ligação internacional que vai mudar o perfil da economia regional. Mas enquanto todos não calçarem a sandália da humildade, nada feito. A pendenga vai se arrastar eternamente. Nada de ponte e prejuízo e frustração para todos.
SE FOI o tempo em que tínhamos 3 ou 4 marcas de cerveja. Agora já são dezenas nas gôndolas dos supermercados. Vão das chamadas artesanais, outras fabricadas em fundo de quintal, até as marcas famosas. Os preços também são para todos os gostos e bolsos. Tem algumas que podem custar mais de R$ 20. Por esse preço, desce quadrada.    
ENQUANTO por aqui o clima por essas plagas ainda é ameno, Brasília vive temperaturas extremas e vai esquentar mais. A reta final do processo de impeachment da presidente deixa os nervos à flor da pele de todos os partidos e, é claro, principalmente dos petistas. O povo também está apreensivo, e não é para menos. O que acontecer lá vai refletir na vida de todos nós. Pelo menos um consolo: esse lenga lenga, que se arrasta a quase um ano, chega ao fim. É o que se espera. 
CALIBRANDO - UM SETOR da economia que parece não estar sentindo a crise é o farmacêutico. TAMBÉM com a crise batendo na porta, a imunidade do peão vai lá pra baixo. AVENIDA BURICÁ já é realidade em Três de Maio e está ficando daqui, ó. EXPECTATIVA para as primeiras pesquisas de intenção de voto. A PARTIR das primeiras pesquisas, dos comícios e da propaganda no rádio, a tendência é a campanha esquentar.  A MAIORIA já considera Dilma Rousseff ex-presidente. E SE ELA der a volta por cima?  TUDO pode acontecer. Ou você confia nos políticos brasileiros?!
ÓTIMO FIM DE SEMANA, curtindo músicas antigas do fundo do baú, dando um play na romântica 'Love is All', com Malcolm Roberts.



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

23/12/2016   |
16/12/2016   |
12/12/2016   |
02/12/2016   |
25/11/2016   |
18/11/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS