Domingo, 28 de maio de 2017
Ano XXIX - Edição 1458
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

O socorro em minutos

04/11/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Pedido de ajuda salva vida de bebê
Na terça-feira à noite, o que era pra ser mais um momento de rotina se transformou em minutos de pavor para uma família do Bairro Oriental, em Três de Maio. Elisângela Silva conta que estava amamentando o filho Yago Jardel da Silva Rex, de 38 dias, quando o bebê se afogou com o leite.
Segundo Elisângela, familiares e até vizinhos tentaram desafogá-lo "sugando" o nariz do bebê, mas sem sucesso. Como não estava reagindo, a mãe ligou para a Brigada Militar, solicitando ajuda. O sargento Edelberto Ginder, de 40 anos, atendeu a ligação de Elisângela. "A mãe estava desesperada. Imediatamente, entrei na viatura e fui até a casa, que fica próxima à Brigada Militar. Aos prantos, a mãe me alcançou o bebê, que já estava roxo e desacordado", recorda Ginder.
O policial militar conta que pegou a criança, com a mão esquerda, inclinada com a cabeça para baixo. "Fiz massagem no peito com a mão esquerda e com a direita passei a dar batidas leves nas costas, durante uns 30 segundos, até que o bebê expeliu o leite e voltou a respirar."
Policial militar há 13 anos, Ginder disse que já havia dado orientação por telefone, mas, pessoalmente, foi a primeira vez que atendeu um caso deste tipo. "Pude realizar o socorro graças ao treinamento recebido da Brigada Militar, através de um curso concluído na semana anterior. Foi tudo muito rápido. Entre a ligação e o atendimento, creio que foram uns dois minutos. Depois, vieram os bombeiros e levaram o bebê para o HSVP para avaliação clínica. Foi um alívio para todos", conta, emocionado.
Elisângela diz que tem duas filhas, mas que não havia acontecido nada parecido com elas. "O Yago já havia se afogado outras vezes, mas conseguimos desafogá-lo em casa. A ação do sargento foi muito rápida e salvou meu filho. Agradeço muito a ele e que Deus o abençoe e ilumine sempre."
Depois de ter ficado em observação do hospital, a mãe conta que foi constatado que o bebê tem refluxo - condição que permite que alimentos e sucos gástricos voltem do estômago em direção à boca.


FOTO PRINCIPAL: JAQUELINE PERIPOLLI




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

06/05/2017   |
06/05/2017   |
07/04/2017   |
07/04/2017   |
07/04/2017   |
24/03/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS