Sábado, 21 de outubro de 2017
Ano XXIX - Edição 1479
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

ETEs precisam de adequações, e coleta do esgoto pela Corsan fica inviabilizada

25/11/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Necessidade de adequações nas estações de tratamento de esgoto inviabiliza que Corsan faça a coleta

Isso porque, com o serviço feito, não haveria onde destinar um grande volume.
População convive com mau cheiro em alguns pontos da cidade

Moradores de Três de Maio têm deparado, em algumas partes da cidade - como em certa altura das ruas Expedicionário Bertholdo Boeck e Horizontina e da Avenida Senador Alberto Pasqualini -, com um mau cheiro e com esgoto sanitário a céu aberto, que vaza de imóveis cujos proprietários não estão encontrando profissionais habilitados para fazer a limpeza periódica das fossas sépticas.
E, caso a escassez de profissionais perdure, a tendência é de que a situação continue assim. Isso porque a principal alternativa, e a que seria mais viável para os moradores, não está, no momento, disponível.

Secretaria municipal tem recebido reclamações
O secretário municipal de Habitação e Urbanismo, Márcio Rodrigo Lena, diz que seguidamente a pasta tem recebido ligações da população relativas ao tema - sejam reclamações ou pedidos de moradores para que a secretaria proceda à limpeza das fossas das residências deles.
Toda vez, a orientação transmitida aos autores dos telefonemas é a mesma: esta questão é com a Corsan, conforme previsto em contrato - celebrado entre a Prefeitura e a estatal - renovado em 2012.
"Quem tem que atender à solicitação e executar o serviço é única e exclusivamente a Corsan. Ela é obrigada a fazer, porque existe contrato firmado que prevê o fornecimento de água e o tratamento de esgoto", avalia o secretário.

Exigências da Fepam
O chefe das unidades local e vinculadas da Corsan, Miguel Lugoch, afirma que, "como hoje não temos rede coletora de esgotamento sanitário em Três de Maio, o que acredito que haverá num futuro mais distante, cada morador, cada proprietário de imóvel é responsável pelo esgotamento de sua fossa séptica".
Ele reconhece que, caso chamada, a Corsan deveria fazer a coleta do material das fossas sépticas e o posterior tratamento do esgotamento sanitário, mas há um impeditivo. E o problema até não passa pela inexistência, em Três de Maio, de um caminhão limpa-fossa da companhia, uma vez que, quando há necessidade, um limpa-fossa da Corsan de Santa Rosa vem realizar o trabalho.
A questão central gira em torno da destinação do esgoto que seria coletado. Próximo a Três de Maio, que ainda não tem estação de tratamento de esgoto (ETE), há estação em Santa Rosa, Ijuí e Santo Ângelo. As três precisam passar por adequações, que são exigências da Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental), e, enquanto isso, haverá limitação no recebimento de esgoto por parte das ETEs.
Ou seja: coletar o esgotamento sanitário de vários imóveis de Três de Maio significaria recolher uma grande quantidade; essa grande quantidade precisaria ter, naturalmente, uma destinação, para posterior tratamento; o destino seria uma ETE; e receber grande quantidade de esgoto é justamente o que as ETEs da Corsan não podem fazer.
"As adequações que a Fepam está exigindo nas ETEs são a instalação de equipamentos especiais em inox, combinados com obra de alvenaria. Estes equipamentos são necessários para a estabilização preliminar do esgoto das fossas sépticas, para posterior tratamento nas ETEs, junto com o esgoto das redes coletoras. O esgoto das fossas sépticas é mais concentrado, exigindo, com isso, um pré-tratamento", explica o chefe da unidade local da Corsan.

Apenas para o loteamento Santa Maria
Miguel conta que as adequações foram exigidas no começo deste ano, e a previsão é de que elas estejam concluídas no primeiro semestre de 2017. Inicialmente, as estações de Santa Rosa e Santo Ângelo deverão passar pelas obras, e depois a de Ijuí.
"Temos uma autorização para destinar o esgoto de fossas sépticas na ETE de Santa Rosa, mas essa autorização foi concedida excepcionalmente para o loteamento Santa Maria, em maio, com o limite de destinarmos 20 m³ diários de esgoto. Para uma demanda grande, a Corsan não está autorizada", frisa. Por outro lado, há previsão de que ainda no final deste ano ou em 2017 seja adquirido um caminhão limpa-fossa para Três de Maio.
Uma alternativa para os moradores que não encontram profissionais seria uma empresa de Horizontina, que é habilitada para realizar o serviço de limpeza de fossas sépticas e possui uma estação de tratamento, mas a empresa alega que, devido à limitação de sua ETE, não está nem conseguindo suprir a demanda existente em seu município de origem - ou seja, já isso inviabiliza que ela assuma trabalhos extras em Três de Maio, pois não teria condições técnicas de prestar o atendimento.

Cidade registra pontos de vazamento de esgoto doméstico

FOTOS: MURIAN CESCA



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

13/10/2017   |
13/10/2017   |
13/10/2017   |
15/09/2017   |
25/08/2017   |
18/08/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS