Quarta-feira, 18 de julho de 2018
Ano XXX - Edição 1516
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

A Coluna do J

25/11/2016 - Por J Moraes
Tweet Compartilhar
CONTRA PONTO - Em referência ao tópico 'Os Buracos da Corsan', publicado nesta coluna na edição passada do jornal Semanal, recebemos a seguinte nota do Administrador da Corsan de Três de Maio. Íntegra da nota: "Sr. Jota Moraes: Em resposta ao artigo publicado dia 18/11, na coluna do jornalista Jota Moraes, a CORSAN vem a público esclarecer que as obras de substituição de redes e ramais de água nas ruas centrais de Três de Maio foram planejadas em conjunto com a Prefeitura Municipal. A Prefeitura enviou para a CORSAN uma relação de ruas que seriam pavimentadas ou repavimentadas com asfalto. Em tempo recorde, a CORSAN elaborou os projetos de substituição das redes, forneceu a tubulação, peças necessárias à obra e contratou via licitação a empresa para executar a substituição de 3.143 m de redes antigas de fibrocimento por redes de PVC. Não houve atraso na execução das obras, sendo que o cronograma elaborado pela Prefeitura foi cumprido pela CORSAN. Entretanto, a empresa contratada pela Prefeitura Municipal para fazer o pavimento asfáltico tamponou os registros de rede da CORSAN, o que necessitou de novos cortes na via pavimentada, para desobstruir os mesmos. Estes registros foram instalados para setorizar as eventuais intervenções nas redes de água da Cidade, objetivando melhorar o atendimento aos cidadãos três-maienses. Este é o motivo de alguns buracos abertos no asfalto novo. A Companhia Rio-grandense de Saneamento em Três de Maio possui um quadro funcional qualificado, que trabalha comprometido em prestar o melhor serviço à comunidade três-maiense. Atenciosamente, Miguel Lugoch Administrador - Chefe da US Três de Maio e Vinculadas."
LATIFÚNDIO IMPRODUTIVO - Uma demonstração definitiva de que estamos vivendo um momento de extrema dificuldade é que, de acordo com levantamento da Confederação Nacional dos Municípios, 70% municípios brasileiros estão no vermelho. Em relação aos estados, a situação não é muito diferente. Dos 26 estados da federação, 17 estão no vermelho, por enquanto. Cinquenta e oito milhões de brasileiros não conseguem pagar suas dívidas, estão com suas contas no vermelho. Na interminável fila dos desesperados, já contabilizamos mais de 12 milhões de desempregados. Isto quer dizer que estamos mergulhados em uma recessão profunda. E acreditem, nos últimos dez anos, 875 projetos tramitaram na Câmara dos Deputados. Do total, apenas 16 foram aprovados, o equivalente a 1,83% do total. Isso mesmo, em dez anos, 16 projetos aprovados. Isso quer dizer que enquanto o povo enfrenta situações extremas e difíceis, o Congresso Nacional, de onde deveriam surgir soluções para os problemas que afligem a população, é latifúndio improdutivo. 
IMPREVIDÊNCIA  SOCIAL - Neste momento em que o governo do Estado e o governo federal estão se preparando para dificultar mais as regras para a aposentadoria dos trabalhadores sob o temor de que como está o sistema não resiste muito tempo, não seria o momento de realizar uma reforma ampla e profunda  em todo o sistema previdenciário. É claro, sendo um assunto de tamanha importância, a discussão teria que envolver toda a sociedade. A essa altura do campeonato não adianta maquiar uma situação que é grave e para muita gente irreversível. É preciso ir fundo em busca se soluções. Talvez se todos participassem surgisse  uma ideia luminosa. Mas não adianta, isso é sonho, é utopia.  Nesse país tudo vem de cima, goela abaixo. O povo não tem vez e nem voz. E ainda vota mal.
ÓTIMO FINAL DE SEMANA, curtindo a rapaziada do Capital Inicial, dando um play em 'Que país é esse'... Ah, em Tempo. AZULOOOOOUUU aqui e lá  preteou o zóio da gateada hehehe




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

23/12/2016   |
16/12/2016   |
12/12/2016   |
02/12/2016   |
18/11/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS