Sexta-feira, 18 de janeiro de 2019
Ano XXX - Edição 1541
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

23/12/2016 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - O NATAL DE CRISTO - É o Natal dos cristãos. O Natal de Cristo. Aquele Natal do presépio. Do Menino Jesus reclinado na manjedoura. Dos pastores com suas ovelhas na gruta de Belém. Maria e São José cuidando o Menino Deus. É este o Natal verdadeiro, o Natal dos cristãos. Um quadro que todas as crianças deveriam aprender a conhecer nas suas casas, no seio da família. Mas muitos preferem o Natal do velho barbudo, do pinheiro enfeitado, das luzes, dos holofotes, o Natal dos caros presentes, das músicas profanas, do jantar do peru ou do frango, do chester, um jantar regado a champagne. Muita conversa fiada e projeção de altos negócios. Muita balaca sobre os que pouco ou nada fazem e nada podem. Narrações de realizações engordam a conversa entre um copo e outro. Não é exatamente este o Natal que querem as crianças cristãs, nem os pais que têm o olhar voltado para outro rumo. A fé não se colhe a esmo e nem se compra em supermercado. Ela precisa ser plantada em tenra idade, quando a terra ainda não produziu inço e não está contaminada pelos miasmas deletérios. 
SERÁ O COMEÇO - De uma nova era a PEC do Teto? Ao menos, nos próximos anos, as gastanças ficarão refreadas. Era preciso frear os gastos públicos, que estão levando a nossa economia para o caos. Está passando a hora de fechar as torneiras e gastar os recursos públicos de forma equilibrada. Não se pode mais jogar dinheiro pela janela. 
OBRAS NÃO PARAM - A menos de duas semanas do fim do mandato e as obras da mobilidade urbana não param em Três de Maio. Várias ruas foram asfaltadas, depois do dia 15 de dezembro, deixando em boas condições de trafegabilidade as ruas centrais da cidade. A administração municipal do prefeito Casali deu de goleada. Agora, o povo está curioso para ver o desempenho do próximo mandatário. 
MERREQUINHA - O salário mínimo nunca foi aquelas coisas. Por isso, em 2017, não vai ser diferente: vai subir para R$ 945,50. Enquanto isso, só se ouve falar em valores próximos dos R$ 30 mil nos altos escalões, sem os penduricalhos. Enquanto na nossa Pátria o salário de um educador ficar pendurado em três ou quatro mínimos e até abaixo disso, vamos continuar patinando. 
EXPECTATIVA - É grande a expectativa para 2017. Os olhos estão voltados para o futuro da nossa economia e da nossa política. O povo quer saber o que vai acontecer a nível nacional, estadual e, principalmente, municipal, onde estão os interesses dos que aqui residem. Principalmente, depois de o povo ficar mal acostumado com conquistas em cima de conquistas e obras em cima de obras. Mas e a vida continua. E nunca mais será tão igual e tão diferente. 
ÚLTIMA CONQUISTA - Talvez, a derradeira conquista de um mandato inexcedível, foi um ônibus, que encostou, no dia 19, a 12 dias do fim de mandato. Conquistado junto ao Ministério de Educação - FNDE - do programa Caminho da Escola. 
ESTOU FORA - Desde terça-feira, dia 20 de dezembro, o colunista está fora da vida pública. Em despedida no Palácio Municipal o colunista encerrou 18 anos de secretariado no Palácio Municipal, na data em que completou 77 anos. Foram 18 anos de fecundo trabalho sério, honesto e de muita dedicação. Neste mês de dezembro, o colunista também celebra a sua vinda a Três de Maio, no dia 13, em 1961, quando o Município estava engatinhando no segundo mandato. Tudo era tão diferente. Apenas algumas ruas tinham calçamento poliédrico e onde se situa o Palácio Municipal Walter Ullmann, era um terreno baldio, um mandiocal. Foi aqui onde completei minhas 22 primaveras. Obrigado Três de Maio! 




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

18/01/2019   |
11/01/2019   |
21/12/2018   |
14/12/2018   |
14/12/2018   |
07/12/2018   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS