Domingo, 19 de novembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1484
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

'O principal legado dos nossos mandatos chama-se projeção desenvolvimentista', avalia Casali

23/12/2016 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Prefeito de Três de Maio deixará o cargo - em 31 de dezembro - após duas gestões consecutivas

Passados oito anos, o prefeito Olívio José Casali (PP), 72 anos, se aproxima dos últimos dias à frente do Executivo de Três de Maio - últimos dias pelo menos momentaneamente, já que ele, que está em sua segunda gestão consecutiva, não pôde concorrer, em outubro, a mais um mandato. Entre declarações como "o amanhã a Deus pertence" e "até então, cumpri minha missão", Casali não se mostra definitivo sobre seu futuro na política - deixa tudo em aberto.
Na visão dele, nos últimos oito anos, foram "duas gestões de extrema dinâmica, com muitas realizações e muitas obras de infraestrutura", e "o principal legado do nosso mandato geminado de oito anos chama-se projeção desenvolvimentista".
"A administração municipal entendeu que, apesar das dificuldades econômicas, é preciso planejamento, projeção de obras com visão de futuro e buscar recursos nas esferas federal e estadual", analisa o prefeito.

Qual a sua avaliação sobre estes oito anos à frente do Executivo de Três de Maio?
Das melhores possíveis. Desenvolvemos, nestes dois mandatos, no período 2009/2016, duas gestões de extrema dinâmica, com muitas realizações e muitas obras de infraestrutura.
Três de Maio subiu inúmeros degraus no patamar desenvolvimentista. Tivemos conquistas inéditas, como a do complexo industrial lácteo e do asfaltamento da perimetral, o anel viário.
Temos, igualmente, obras que destacam a Educação e a Saúde, e nossa estrutura administrativa também melhorou e somos um dos poucos municípios do Estado que pagam o piso nacional ao magistério municipal. Temos, no Bairro Oriental, a Esplanada da Justiça, um complexo sem igual, aliado à recente transformação da Rua Buricá em avenida. E um dos mais futurâmicos projetos é o do Parque Empresarial II e seu acesso asfáltico.

Os últimos dois, três anos foram de recursos escassos por parte do governo federal e do estadual. De que forma isto impactou na administração?
Quanto a isso, não temos grandes queixas. É bem verdade que o Estado e a União deixaram de dar retornos mais significativos, em especial nos segmentos de Saúde e Educação, mas temos tido apoios significativos, como foi o caso do acesso asfáltico do Parque Empresarial II, quando o governo do Estado estendeu recursos a fundo perdido no valor de R$ 1.104.000,00. O Estado também investiu na construção da perimetral, para ficar nisso. A União, então, foi generosa com nosso município.
A despeito de tudo isso, cumprimos com as nossas obrigações, pagando em dia os nossos servidores - inclusive o 13º salário - e os nossos fornecedores, e deixamos uma sólida estrutura no parque de máquinas, com aquisição de 25 unidades, entre veículos, caminhões, máquinas e equipamentos.
Qual o montante de recursos que foram investidos no município nestes dois mandatos?
Foi investido em obras e realizações um volume jamais visto nos 60 anos de existência de Três de Maio. São quase R$ 300 milhões. É um somatório simplesmente fenomenal o que foi investido no território três-maiense nos oito últimos anos.
Segmento por segmento, foram investidos R$ 85 milhões em Educação; R$ 72 milhões em Saúde; R$ 54 milhões em Obras; R$ 10 milhões na Agricultura; e R$ 12,5 milhões na Assistência Social, sendo, disso tudo, R$ 24 milhões a fundo perdido e R$ 9,5 milhões de recursos próprios e de financiamento. Isso sem contar os investimentos feitos na Lactalis, que foram da ordem de R$ 260 milhões, e ainda há a previsão de um novo investimento, de mais R$ 20 milhões, em breve.
Ainda foram investidos mais de R$ 5,5 milhões na construção de 150 unidades habitacionais no Residencial Santa Maria e no projeto Emancipar. E há, ainda, a implantação da rebaixadora da RGE, um investimento de cerca de R$ 15 milhões.

Quais foram as principais obras realizadas nestes oito anos?
São muitas as obras, em todos os segmentos. Sempre vem em primeiro lugar o complexo industrial lácteo (Lactalis), seguindo-se a implantação da perimetral, o anel viário de 4,5 quilômetros. Não deixa de ser de capital importância para o futuro desenvolvimento de Três de Maio o Parque Empresarial II, constando de 43 lotes e seu acesso asfaltado.
No segmento educacional, há que se destacar a EMEI Pequeno Príncipe, num investimento superior a R$ 2 milhões. Ainda, a construção de 150 moradias no Residencial Santa Maria (96) e no Projeto Emancipar (54), e temos a recuperação e ampliação da Praça Henrique Becker Filho.
A Saúde também teve investimentos polpudos, tendo sido beneficiadas as comunidades do Bairro Santa Rita e do Bairro São Francisco com Unidades Básicas de Saúde. A Unidade Central foi reformada e a Unidade Básica de Saúde do Bairro Oriental foi ampliada.
O Bairro Oriental também foi beneficiado com o asfaltamento da Avenida Buricá. Foi investido maciçamente em recuperação de vias públicas e em calçamento poliédrico, em elevado número de ruas, nos diversos bairros, transformando o Bairro Oriental na mais bela paisagem de nossa cidade, destacando-se a Esplanada da Justiça.


Confira a entrevista completa no jornal impresso




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/09/2017   |
08/09/2017   |
09/06/2017   |
06/05/2017   |
07/04/2017   |
31/03/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS