Quarta-feira, 18 de outubro de 2017
Ano XXIX - Edição 1479
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

PERIGO NAS ÁGUAS - Bombeiros alertam para os riscos de afogamentos

10/02/2017 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Na região, mais um caso foi registrado no fim de semana. Desta vez, no Rio Buricá, na divisa de Horizontina e Crissiumal, um jovem morreu depois de salvar a filha da namorada
O Rio Grande do Sul tem registrado um grande número de afogamentos neste verão. E as situações não estão ocorrendo apenas nas partes litorâneas, mas também em outros pontos no interior procurados pelos banhistas, como rios, piscinas, barragens ou açudes.
Na Operação Golfinho, a média está sendo de 21 salvamentos por dia em praias gaúchas. Em 50 dias de atuação dos salva-vidas, foram 1.073 resgates no mar e em águas internas do Rio Grande do Sul. Neste período, seis pessoas morreram afogadas em áreas onde há guaritas, sendo quatro delas fora do horário de atendimento dos salva-vidas.
Um caso que chocou aconteceu na terça-feira, dia 7, no interior de Caxias do Sul, quando quatro pessoas da mesma família morreram afogadas. O pai, duas filhas e um neto, segundo a polícia, morreram afogados em um açude.
Na região, os casos registrados são de afogamentos em rios. O último aconteceu no sábado, dia 4, na localidade de Cascata, próximo à ponte da ERS 305, na divisa de Horizontina com Crissiumal. Bruno Spíndula, de 22 anos, salvou da correnteza a filha da namorada, que havia caído na água, quando foi arrastado pela força das águas. Bruno estava no local na companhia da namorada, Aline Moraes. Ele foi encontrado na manhã de segunda-feira, dia 6, quando emergiu próximo ao local onde desapareceu, onde existe um poço de profundidade em torno de 40 metros.
No dia 9 de janeiro, foi localizado o corpo de Jhony De Paula Derlan, de 20 anos, que se afogou no dia 8, nas águas do Rio Buricá, enquanto se banhava no rio em um balneário em São Roque, no interior de Independência. Ainda na madrugada do dia 21 de janeiro, o jovem Rafael Chitolina, de 17 anos, entrou nas águas do Rio Uruguai, em Porto Mauá, e desapareceu.

Escolher um local apropriado para o banho, de acordo com as limitações de cada um, é essencial, orienta bombeiro
Segundo o sargento Evandro Carlos Schwerz, do Corpo de Bombeiros Misto de Três de Maio, infelizmente já houve um caso de afogamento na área de atuação do CB Misto de Três de Maio no dia 8 de janeiro, quando um jovem de 19 anos morreu no Rio Buricá, na localidade de São Roque, em Independência. 
Schwerz orienta que no período de verão os rios, balneários e piscinas são uma ótima opção de lazer, mas as águas profundas são ambientes instáveis para as pessoas e deve-se ter consciência disso. "Independente de nossas condições físicas ou técnicas para nadar, estamos sujeitos a sofrer algum problema de saúde ou fadiga, que nestas condições pode ser fatal", acrescenta.
Para evitar acidentes, o bombeiro afirma que podem ser criados dispositivos de segurança, começando por escolher um local apropriado para o banho, de acordo com as limitações de cada um. "A profundidade é compatível para crianças? Possui sinalização de alerta aos riscos do local? Possui demarcação da área de banho? Possui meios de socorro, como boias ou salva-vidas? O nível da água está apropriado ao banho?", reforça.
Schwerz explica que, quanto aos rios, como as águas são turvas, podem esconder pedras e galhos, causando acidentes. Ele afirma, ainda, a existência de poços. "As correntezas e a instabilidade dos níveis da água mudam as características do balneário. Os riscos, aliados à falta de estrutura de segurança de muitos balneários, sinalizações e dispositivos de socorro contribuem para que os acidentes aconteçam. É importante salientar para as pessoas estarem atentas à movimentação das águas em momento de muita chuva. A região possui muitas pontes e estradas que são suscetíveis a enchentes, obstruindo acessos, gerando um risco, principalmente à noite. É necessário evitar, principalmente, que crianças fiquem próximas a córregos, pois podem ser surpreendidas por enxurradas", finaliza o bombeiro.

Na foto: Bruno Spíndula, de 22 anos, salvou da correnteza uma adolescente e foi arrastado pela força da água do Rio Buricá

FOTO: DIVULGAÇÃO

Confira no jornal impresso a matéria completa




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

04/08/2017   |
16/06/2017   |
13/04/2017   |
17/03/2017   |
16/08/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS