Domingo, 21 de outubro de 2018
Ano XXX - Edição 1530
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Escola Primeiro de Maio, que chegou a ter 108 alunos e hoje conta com oito, completou 93 anos de atividades

01/06/2018 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
A Escola Municipal de Ensino Fundamental Primeiro de Maio, de Lajeado Silva, Independência, completou em maio 93 anos de atividades. Inaugurada em 1925, a instituição chegou a ter 108 alunos em 1970 e, hoje, recebe oito, em apenas uma turma, multisseriada. A seguir, um relato da história, o qual tem organização da atual professora e diretora, Eliete Schakofski Turra.

Num dia 5 de novembro, na localidade de Lajeado Silva, no então distrito de Giruá, município de Santo Ângelo, reuniram-se vários senhores, a fim de tratar sobre a fundação de uma escola naquela localidade.
O terreno para a construção foi doado pelo sr. Augusto Baiffus, sendo que as madeiras utilizadas na construção foram retiradas do próprio terreno. Os senhores que pensaram na fundação da escola vieram de Ijuí, Cachoeira do Sul, Cruz Alta, Panambi e Santa Cruz do Sul, sendo eles mesmos os construtores do prédio.
A escola foi inaugurada no dia 1º de maio de 1925 e leva o nome de Primeiro de Maio devido à data. A festa de inauguração ocorreu no município de Independência, na área urbana, pois aquele era o lugar mais populoso.
No momento da inauguração, o professor municipal Pedro Guimarães Filho tomou posse, recebendo como ordenado por aluno o valor de 1 real (singular de réis), sendo o valor pago pelo Município. A escola iniciou suas atividades com 48 alunos. Em 1930, a comunidade local construiu uma casa para o professor, pois até então ele se hospedava na residência do presidente da escola, o sr. Augusto.
Primeiro registro da escola e de seus alunos, em 1925

Divisão da escola devido a divergências políticas
O professor Pedro Guimarães Filho lecionou até fins de 1928 e a administração da escola era feita pelo professor Oscar Jack até 1931. No ano de 1932, o professor Bertoldo Reschque iniciou suas atividades na escola.
Entretanto, foi expulso pela sociedade no segundo semestre, pelo motivo de castigar os alunos severamente, sendo substituído pelo professor Max Mlhan Waloschek, que lecionou até fins de 1932. Porém, os pais se revoltaram com Max e passaram a não mais enviar os filhos à escola.
Na comunidade, existiam dois partidos, o que ocasionou a divisão da Primeiro de Maio, sendo erguida uma outra escola a 500 metros da primeira construção.
Este período caracterizado pela desordem na comunidade durou aproximadamente três anos, de 1933 a 1936, sendo que a paz na comunidade e assim também na escola voltou somente depois que a instituição foi escriturada ao Município, unindo, com isso, os dois partidos e os dois prédios.
Depois de a escola pertencer ao Município, ela passou a ser administrada por professores municipais. Então, o professor Pedro Guimarães Filho voltou a atuar na Primeiro de Maio, este que, segundo moradores, muito fez em prol da instituição. Ele lecionou até 1945, sendo até então o único docente da escola.
Em 1945, sua filha Elza Lucinda Guimarães foi o assessorar. Em 1950, o professor se aposentou, ficando apenas uma professora atuando na instituição. Em 1957, este quadro mudou, com a chegada da professora Leni Dora Schakofski.

Novos prédios construídos em curtos intervalos
No ano de 1959, foi construído um novo prédio escolar, com a ajuda da comunidade local e da Prefeitura de Três de Maio, que contribuiu com Cr$ 10 mil. A edificação foi concluída para inauguração em 1962.
No mesmo ano, foi construída outra escola, uma brizoleta (de madeira), pelo Estado, com verbas na época doadas por partidos aos municípios. Com isso, o prédio anterior foi doado, vindo a se tornar capela.
Seis anos depois, a estrutura da escola estava abalada e sujeita a um desabamento, oferecendo perigo aos frequentadores do prédio. Desta forma, a Prefeitura de Independência construiu uma escola de alvenaria em 1968, vindo a concluí-la no ano seguinte. Em 1970, o número de alunos aumentou para 108, com a instituição passando a ter quatro professores.
No dia 28 de agosto de 1976, se reuniram os membros da escola Primeiro de Maio e os membros da comunidade evangélica de Lajeado Silva, com o intuito de resolver questões relacionadas à construção do pavilhão de festas, que segundo eles deveria ser construído em conjunto por todos.
Todos os membros presentes manifestaram sua concordância a respeito deste aspecto, sendo decidido que as benfeitorias seriam desmanchadas (copa e casa de moradia) e os materiais destas seriam utilizados na construção do pavilhão de festas.
Para a prestação de serviços na construção, ficou acordado que os pais de alunos ou membros da igreja trabalhariam um dia e, sendo membro da igreja e pai de aluno, os membros trabalhariam dois dias. No dia 24 de outubro de 1976, foi inaugurado o novo prédio escolar, construído na administração do prefeito João Saffi.
Prédio escolar inaugurado em 1976 atende oito alunos
(FOTOS ESCOLA PRIMEIRO DE MAIO/DIVULGAÇÃO)

Atualmente, escola atende apenas oito alunos, do 1º ao 4º ano
Em 1983, foi implantado na escola o pré-escolar, com 11 alunos matriculados, e, em 1985, foi criada na escola a 6ª série. Já no dia 22 de junho de 1985, foi aprovado o estatuto do Círculo de Pais e Mestres.
Em 20 de setembro de 1992, foi inaugurada a sala da pré-escola, que ficou com o nome de Bem-me-quer, tendo todas as estruturas adequadas para funcionamento. No ano de 1994, foram desativadas a 5ª e a 6ª série, passando a 4ª série para o turno vespertino.
No dia 2 de janeiro do ano passado, inicia suas atividades na escola a professora Eliete Schakofski Turra, que também exerce a função de diretora. Sua família tem ligação antiga com a instituição: um dos primeiros alunos foi Theodoro Schakofski, avô dela, sendo que duas tias e uma prima de Eliete  também fazem parte da trajetória da escola: Leni Dora Schakofski Linke e Lídia Schakofski Kristium, filhas de Theodoro e tias de Eliete, e Marcilei Schakofski (lecionou em 1998), neta dele e irmã da atual professora e diretora.
Atualmente, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Primeiro de Maio, dentro do ensino fundamental de nove anos, conta com apenas uma turma, multisseriada, que reúne os oito estudantes, do 1º ao 4º ano. A instituição, que conta com três professores (além de Eliete, dois professores oficineiros, que são Camile Dobler Dassow e Francisco Antônio Zimmermann Costa), funciona no período da tarde.
A comunidade escolar agradece aos demais professores e diretores da rede municipal que lecionaram na escola; todos contribuíram para a melhoria do espaço educativo.
A escola visa a oportunizar aos alunos o conhecimento e a orientação necessários ao desenvolvimento deles, a fim de que possam ser sujeitos críticos, conscientes, atuantes e responsáveis no exercício da cidadania, proporcionando caminhos para o seu desenvolvimento e melhor compreensão da vida no campo.
A instituição desenvolve projetos que vão ao encontro da realidade e das necessidades dos alunos proporcionando uma educação de qualidade.
Os oito alunos, todos meninos, visitaram a redação do Semanal, 
acompanhados da professora e diretora, Eliete Schakofski Turra
(FOTO: MURIAN CESCA)



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

03/08/2018   |
02/03/2018   |
09/06/2017   |
10/03/2017   |
20/06/2016   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS