Quinta-feira, 20 de junho de 2019
Ano XXXI - Edição 1562
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Descuido e irresponsabilidade de alguns moradores fazem crescer infestação do mosquito Aedes aegypti

01/02/2019 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Visitas de agentes da Secretaria da Saúde têm revelado este cenário; antes restrito a determinadas regiões da cidade, quadro agora é geral, diz a coordenadora da Vigilância em Saúde
As visitas dos agentes da Secretaria Municipal da Saúde a residências têm revelado um cenário visto como muito preocupante pela pasta: a falta de cuidado na prevenção e no combate ao mosquito Aedes aegypti.
O mosquito é o transmissor de doenças como a dengue, a febre chikungunya e o zika vírus. O primeiro caso autóctone de dengue em 2019 no RS (não houve nenhum no Estado no último ano) foi registrado em Panambi.
Caso autóctone é aquele em que a doença é contraída dentro do próprio estado. O caso de Panambi foi confirmado no último dia 24 pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde.
Além dessa, outras três ocorrências de dengue também foram confirmadas neste ano no RS, envolvendo moradores de São Luiz Gonzaga (um caso) e Sete de Setembro (dois).
Esses casos se referem a cidadãos residentes no Estado mas que contraíram a doença em viagens para outras regiões do país.

Maus hábitos que se mantêm
Segundo a coordenadora da Vigilância em Saúde de Três de Maio, Bernadete Erbes, o atual índice de infestação do mosquito no município é de 6.0 e é do final de dezembro. No levantamento anterior, era de 3.0.
O número é apurado por meio do Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), realizado por agentes de combate a endemias da Secretaria da Saúde. O resultado de 6.0 indica que, a cada cem residências, seis registram focos do mosquito.
As datas de realização do levantamento e as regiões do município sorteadas para visitação são apontadas pela 14ª CRS e pelo Ministério da Saúde. O próximo LIRAa ocorrerá entre o final de fevereiro e o início de março.
"Estamos vindo de um período em que houve chuvas e nossa preocupação é que estamos localizando muita água parada dessas chuvas. Também, é um período do ano propício para o mosquito se reproduzir, então temos uma preocupação muito grande quanto a isso tudo", diz Bernadete.
"A população ainda tem muito o hábito de coletar água da chuva e deixar em recipientes não bem fechados, então estamos encontrando muitas larvas nesses tipos de locais", explica.
"Por exemplo, baldes com tampa, mas a tampa não está bem vedada; água da chuva coletada em caixa d'água, mas aí há o furo em que é colocado o cano para coleta, o cano cai e o furo fica aberto, permitindo a entrada do mosquito", acrescenta.

Reprodução ocorre em água limpa e parada
O Aedes aegypti se reproduz o ano todo, mas é durante o verão que ele se prolifera ainda mais, em virtude das constantes chuvas e do calor, condições favoráveis ao inseto.
Mosquito doméstico, o Aedes vive dentro de casa e perto do homem, tem hábitos diurnos e se alimenta de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
A reprodução do mosquito ocorre em água limpa e parada, a partir da colocação de ovos pelas fêmeas. Os ovos são colocados e distribuídos por diversos criadouros, não só em um.
E, como nesta época o clima fica mais quente e úmido, os ovos do mosquito se abrem com maior facilidade, aumentando a proliferação do inseto.

Neste sábado, mutirão, em dois bairros
A Secretaria da Saúde está fazendo diariamente um trabalho intenso para que as pessoas se conscientizem de deixar o pátio de casa limpo, uma vez que, por exemplo, em qualquer tampinha de garrafa ou em qualquer pote de sorvete em que ficar água parada o mosquito pode se procriar.
"Então, a população precisa estar consciente de que precisa ajudar, porque se trata de uma questão de saúde pública", ressalta Bernadete.
Outra preocupação destacada por ela é que, se um tempo atrás havia apenas regiões específicas da cidade em que a falta de limpeza, de organização e de cuidados era mais acentuada, agora, a situação é geral, segundo a coordenadora.
Um mutirão de limpeza, de organização e conscientização dos moradores será realizado pelo Município neste sábado, 2, nos bairros Promorar e Guaíra. A intenção é de futuramente expandir a ação para os outros bairros.
E, embora o Município não faça mais o recolhimento de entulhos, neste sábado a atividade será executada, de forma a combater a proliferação do mosquito. Nos locais em que tradicionalmente os moradores costumam deixar lixo e entulhos, serão colocadas placas, alertando para os riscos.

Atual índice de infestação do mosquito no município é de 6.0; um mutirão será realizado neste sábado, 
nos bairros Promorar e Guaíra



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

14/06/2019   |
07/06/2019   |
07/06/2019   |
07/06/2019   |
31/05/2019   |
31/05/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS