Terça-feira, 12 de dezembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1487
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Vidas que salvam vidas

06/07/2012 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Nesta semana, dia 2 de julho comemorou-se o Dia do Bombeiro. A data foi decretada oficial no Brasil no ano de 1954, e hoje já somam 156 anos de existência. Os primeiros registros dos serviços do Corpo de Bombeiro no Brasil surgiram no ano de 1856, quando o imperador D. Pedro II assinou um decreto que caracterizava a diminuição dos incêndios. Hoje o trabalho da corporação de bombeiros é ligada a Brigada Militar e envolve a prevenção e combate a incêndios, busca e salvamento, além de atividades de defesa civil.

Trabalho do Corpo de Bombeiros de Três de Maio completará 15 anos

Em Três de Maio o trabalho de bombeiro iniciou no dia 9 de julho de 1997 com a fundação da Sociedade Civil Corpo de Bombeiros Voluntários de Três de Maio, que teve como seu idealizador e primeiro presidente o senhor Armindo Radies.

A primeira turma foi constituída por 27 bombeiros, todos voluntários. Segundo o atual comandante do 12º Comando Regional de Bombeiro, Marco Antonio Ferreira Barreto, no dia 5 de maio de 2004, houve a adesão do Estado do Rio Grande do Sul através do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar com a assinatura de um convênio entre as instituições do Estado, município e sociedade civil. Nascia então o Corpo de Bombeiros Misto de Três de Maio.

O Corpo de Bombeiros Misto de Três de Maio tem responsabilidade territorial também sobre os municípios de Independência, Alegria, São José do Inhacorá, Boa Vista do Buricá e Nova Candelária. Seu primeiro comandante foi o 1º Sargento Nilson Cavalheiro Bones e desde 17 de março de 2009 é comandado pelo 1º Sargento Marcos Antonio Ferreira Barreto.

Hoje o efetivo do Corpo de Bombeiros é formado por sete militares estaduais, cinco servidores do município de Três de Maio cedidos conforme convênio e 31 bombeiros voluntários.

Missão: salvar vidas

Cassiano Rodrigo Fin Schneider, 28 anos, é um que escolheu esta missão e se declara apaixonado pelo que faz. "Para ser bombeiro é preciso ser abnegado, um apaixonado por aquilo que faz, porque dentre todos os bombeiros que já conheci, jamais vi algum que tenha, mesmo que por um minuto só, se arrependido da opção que fez".

Ele é bombeiro militar há seis anos em Três de Maio e conta que estudou muito e ficou bem classificado no concurso da Brigada Militar, tendo a oportunidade de optar pela vaga de bombeiro. Cassiano relata que teve várias experiências marcantes, uma delas foi quando durante dois dias frios de inverno realizaram buscas, em um rio, a um senhor que havia se afogado. Outro fato foi o vendaval de 2009, quando toda a corporação trabalhou por cinco dias seguidos até atender a todos os chamados.

Conta que as ocorrências que mais marcam são aquelas onde as vítimas são pessoas conhecidas e amigos. "Minha primeira ocorrência foi atender a um acidente envolvendo duas pessoas próximas que infelizmente faleceram. Já recentemente um amigo meu se envolveu em um grave acidente sendo arremessado para fora do veículo e graças ao rápido e qualificado atendimento conseguimos salvá-lo e hoje ele está recuperado e sem sequelas".

Para Cassiano ser bombeiro é mais que uma profissão "Não existe nada mais nobre do que salvar vidas, e nós bombeiros entendemos disso como ninguém, porque investimos corpo e alma numa profissão de alto risco. Ser bombeiro é saber que enquanto os outros estarão festejando o Natal, o Ano Novo, o Carnaval e até mesmo passando os fins de semana com suas famílias estaremos aqui, sempre prontos para garantir segurança".

Vandecir Jelson Scolari, 40 anos, é bombeiro voluntário desde 1999, participando da primeira turma de bombeiros voluntários, sendo comandante deste grupo de 2000 a 2004. Sua missão surgiu pela indicação na empresa que trabalhava na época.

Ele conta que foram vários treinamentos e cursos para se tornar bombeiro. Hoje concilia o trabalho de bombeiro com o de coordenador de supermercado, demonstra grande amor pelo que faz.  "É uma satisfação enorme, me identifiquei com esta atividade, mesmo sendo paralela e voluntária (sem remuneração)". Seu plantão nos bombeiros é de no mínimo duas a três vezes por mês, ou em qualquer evento extraordinário.

Entre os casos marcantes destaca um que, segundo ele, envolveu toda a comunidade três-maiense. "Fomos para a ocorrência de um acidente veicular, e no caminho chamamos reforço de mais uma ambulância, chegando ao local a vítima de um dos carros era o filho de um colega nosso, o motorista da ambulância..."

Vandecir expressa o significado da missão para ele. "No meu ponto de vista, é aquela pessoa que quando chamada, o solicitante pode ter certeza de que terá ajuda de uma pessoa preparada fisicamente, tecnicamente e psicologicamente para enfrentar toda e qualquer situação, mesmo nas mais difíceis situações. Devemos ser fortes emocionalmente".

Atendimentos realizados

2010
Total de atendimentos: 1032
Incêndios: 49
Salvamento de pessoas: 578

2011
Total de atendimentos: 1427
Incêndios: 77
Salvamento de pessoas: 767


2012 (até o momento)
Total de atendimentos: 487     
Incêndios: 39
Salvamento de pessoas: 203




Album



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

24/11/2017   |
10/11/2017   |
29/09/2017   |
29/09/2017   |
15/09/2017   |
08/09/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS