Quinta-feira, 29 de junho de 2017
Ano XXIX - Edição 1462
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Alerta para a prevenção do câncer de próstata

14/12/2012 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é a segunda causa de óbitos por câncer em homens, sendo superado apenas pelo de pulmão. O médico urologista Renato El Ammar do Hospital São Vicente de Paulo de Três de Maio reforça o alerta: o câncer de próstata é o tumor maligno mais frequente do sexo masculino. Apesar da alta mortalidade, a maioria dos cânceres de próstata costuma ter crescimento lento. "Ele pode ficar durante anos restrito à próstata sem causar disseminação do tumor para outros órgãos. Mas é preciso estar atento".

A próstata
A próstata é uma glândula do tamanho de uma noz (com três centímetros de diâmetro), com aproximadamente 20 gramas de peso e apenas presente no sexo masculino. Localizada na base da bexiga, circunda a parte inicial da uretra, canal que leva a urina da bexiga para o pênis. A próstata faz parte do sistema reprodutor masculino, sendo responsável pela secreção de um fluido alcalino que protege os espermatozóides do ambiente ácido da vagina e aumenta sua mobilidade, facilitando a chegada dos mesmos ao óvulo. "Como a próstata encontra-se encostada ao reto, ela pode ser palpada através do toque retal, um dos métodos mais simples de avaliação da glândula".


Os exames
O câncer de próstata pode ser diagnosticado através do exame de sangue, chamado PSA, que é uma proteína específica da próstata; e pelo toque retal. "Quando há suspeita através do toque que possa haver um tumor, deve-se realizar a biópsia de próstata, que nos dará o diagnóstico de certeza da doença. Recomenda-se que todos os homens a partir dos 45 anos façam o exame da próstata. Os indivíduos que tem ou tiveram algum familiar acometida da doença, devem começar a fazer o exame a partir dos 40 anos". 

O preconceito
Na avaliação de Renato, os homens estão procurando ajuda médica numa frequência maior que antigamente devido as campanhas de concientização da necessidade de realizar o exame anual da próstata. "O preconceito, na maioria dos casos já não existe mais, sendo considerado um exame como outro qualquer, assim como o exame ginecológico realizado na mulher". 
A melhor maneira de fazer a prevenção é por meio dos exames, ao menos uma vez ao ano, e em alguns casos até duas vezes ao ano. "Isso porque, se neste período aparecer algum tumor de próstata, ele estará na fase inicial, havendo grande probabilidade de cura se tratado precocemente". 
Estima-se que a incidência do câncer de próstata vem aumentando com o passar dos anos devido ao aumento da expectativa de vida, por isso, diagnósticos do tumor estão sendo feitos com maior frequência. No Brasil, dados no Inca revelam um surgimento de 200 mil novos caso de câncer de próstata ao ano.

Os sintomas 
O tumor de próstata pode não apresentar sintomas nas fases iniciais da doença. Muitas vezes, o paciente vai fazer um exame de rotina e constata a doença. O crescimento da próstata pode ser de maneira benigna ou maligna, ocasionando dificuldade ou dor para urinar, jato urinário fraco, entre outros. Muitas vezes os primeiros sintomas da doença pode ser dor óssea, denotando que pode já haver comprometimento dos ossos através de disseminação da doença. Estudos realizados mostram que pacientes obesos tem uma propenção maior a ter tumor de próstata, assim como indivíduos da raça negra. Vale lembrar que o diagnóstico precoce e o tratamento adequado proporcionam a cura em 90% dos casos de câncer de próstata.

Câncer de pênis e de testículos
Outros tumores do trato urinário do homem são o tumor de pênis e testículos. Os tumores de pênis estão relacionados, na maioria das vezes, com a falta de higiene. No Brasil, cerca de mil homens têm o pênis amputado no país, por ano, sobretudo nas regiões Norte e Nordeste. O Paraguai, o Uruguai e o Peru também têm alto nível de incidência desse tipo de câncer.
Os tumores de testículos acometem pessoas mais jovens tendo a maior prevelência na faixa etária dos 20 a 40 anos. O tratamento inicial consiste na retirada do testículo acometido e outros tratamentos se necessários.
O urologista Renato El Ammar possui especialização nos Estados Unidos e é membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia. Ele atende no Centro Mais Vida, no Hospital São Vicente de Paulo de Três de Maio e no Centro Avançado de Urologia, em Ijuí. 
Foto: ALINE GEHM/ARQUIVO JS



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

02/06/2017   |
19/05/2017   |
13/04/2017   |
10/04/2017   |
24/03/2017   |
20/01/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS