Sexta-feira, 22 de março de 2019
Ano XXX - Edição 1549
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Economia para Consumo

01/02/2013 - Por João Seno
Tweet Compartilhar
À GUISA DE COMENTÁRIO - ATITUDE  -  Falta atitude. Foi o que alguém alegou. A questão era: se faltam profissionais qualificados por toda parte, como se explica que há tanta gente desempregada? Alguém alegou falta de atitude. Trocado em miúdos, quer dizer que falta dedicação. O profissional, ou muitos profissionais não estão vestindo a camisa, como se fossem atletas mercenários. E estes que não vestem a camiseta sobram. Sim, porque para se tornar um profissional qualificado, é preciso ter atitude e vestir a camiseta. Ninguém quer um trabalhador-faz-de-conta. Os empresários são todos movidos a resultados e, por isso, não querem contar com profissionais desmotivados. Os que querem emprego precisam botar a camiseta e mostrar que têm atitude.
MUNICÍPIOS INGOVERNÁVEIS  -  "É um momento agudo. Os municípios estão ficando ingovernáveis". Assim o entende o presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Paulo Ziulkoski. Por que será? Os prefeitos que o digam. Há prefeitos decretando situação de emergência, outros, calamidade pública e até moratória. Culpa de quem?
O NEGÓCIO NÃO É FALAR, FALAR E FALAR. MAS O NEGÓCIO É FAZER, FAZER E FAZER.
CRESCE O NÚMERO DE PESSOAS APARTIDÁRIAS. AS LEGENDAS ESTÃO PERDENDO SIMPATIZANTES. É a primeira vez que isso acontece, desde 1988: o número de apartidários superar o número de simpatizantes de alguma sigla. O desencanto seria consequência da corrupção?
"ISSO É LAMENTÁVEL. ESTÃO DEFENDENDO CONDENADOS". Senador Pedro Simon sobre o jantar dos petistas em Brasília, para arrumar dinheiro para os condenados do mensalão, que ultrapassa R$ 1,5 milhão.
DEFINIÇÃO DE BOCUDO  -  É todo aquele que quando abre a boca não diz nada a não ser baboseiras. E ainda maltrata a linguagem.
O SUCESSO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA OU DA EMPRESA PARTICULAR DEPENDE DE GESTÃO EFICIENTE  E DO EMPREENDEDORISMO.
CUSTOS - O barateamento da energia elétrica terá custos para os cofres públicos: R$ 8,4 bilhões. Só no Rio Grande do Sul a arrecadação cairá R$ 250 milhões. É dinheiro! Nada se disse se esta redução da taxa da energia elétrica será permanente.
É MUITO DINHEIRO -  Os brasileiros nunca pagaram tantos impostos e contribuições como em 2012 e muitos contribuintes nem sabem. A Receita Federal arrecadou no ano recém-findo R$ 1,029 trilhão. Foi a primeira vez que os tributos passaram da casa do trilhão. É dinheiro, é muito dinheiro. Um crescimento real em relação a 2011 de 0,7%. Por isso, na alta estratosfera governamental só se fala em bilhões.
PERGUNTA - Se eu tenho um trilhão, posso gastar quantos bilhões?



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

15/03/2019   |
08/03/2019   |
01/03/2019   |
22/02/2019   |
15/02/2019   |
08/02/2019   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS