Quarta-feira, 23 de agosto de 2017
Ano XXIX - Edição 1471
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Entrevista - Cotrimaio novos tempos

01/03/2013 - Por Yara Lampert
Tweet Compartilhar
Cotrimaio... Novos Tempos...
Inovação, conhecimento e muita experiência, para alguns, são as características de Silceu Dalberto, novo presidente da Cotrimaio. Em meio a muita correria, viagens e reuniões, ele recebeu esta colunista e gentilmente concedeu-nos uma entrevista, onde fala sobre os desafios e os novos rumos da Cotrimaio.

Como se define? Otimista, batalhador, persistente, comunicativo e determinado. Procuro estar próximo de pessoas positivas que agreguem valores, tanto na minha vida pessoal, como profissional.

Qual seu estilo de gestão? De 2004 a 2012, estive bem próximo da presidência e pude observar os pontos positivos e negativos, exercendo minhas tarefas focadas no que me cabiam.  A cooperativa hoje tem um ambiente de consulta, de respeito, de diálogo, de atitude e de consenso. É claro que como tudo na vida há divergências, mas o importante é sabedoria para trabalhá-las, é tirar dali, senão um consenso, pelo menos um acordo de adesão que permita seguir em frente com o comprometimento de todos.

O que levou a ser o novo presidente da Cotrimaio? Com a decisão dos diretores, bem como dos conselhos deliberativo e fiscal e da assembleia em aprovar o Processo de Liquidação Extrajudicial com continuidade de negócios, dissolveu-se todos os membros eleitos, porém, alguém precisava assumir como presidente liquidante, por isso, decidiu-se escolher por uma pessoa que já tivesse conhecimento de toda a Cotrimaio e aí, meu nome foi indicado e aprovado em assembleia.

Como você recebeu a Cotrimaio? Sou filho de agricultores e desde muito jovem me associei na Cotrimaio. Participei dos cursos de lideranças para jovens cooperativistas, fui líder de núcleo, conselheiro deliberativo, gerente de Comunicação e Marketing e diretor secretário. Ou seja, a minha vida sempre foi em torno da Cotrimaio.

O que é realmente fato e o que é especulação? A cooperativa está passando por momentos bem delicados, principalmente porque não conseguiu ainda efetuar todos os pagamentos. Isso é o que mais me dói - não ter ativo para efetuar o passivo com o associado. Porém, dia 14 de janeiro, é um marco para a Cotrimaio, pois criamos uma regra fundamental, aonde grão paga grão. Por isso, todos os produtores de milho receberam em dia e vão continuar recebendo, porque conseguimos uma parceria muito boa e que está nos dando um costado. E assim será realizado com a safra de soja que está se aproximando e com o trigo também. E como já foi divulgado nos veículos de comunicação, a cooperativa continua trabalhando com todos os negócios, porém, se tiver que diminuir os negócios da cooperativa ou realizar parcerias para fortalecer, vamos fazer.

Como é estar no comando de um grupo grande como a Cotrimaio? Sou uma pessoa com visão de futuro, sem perder a realidade do momento atual. Gosto de projetar metas, de ter planos B se as coisas não correrem como eu imagino. Nesta nova gestão, penso em construir parcerias entre cooperativas para fortalecer o associado. Se acontecer, faremos isso de forma ampla e buscaremos um parceiro estratégico que traga capital e que, se possível, nos traga mais conhecimento e mais força. Não me incomodo em nada de compartilhar decisões, de discutir coisas com as pessoas. Acho que o importante é fazer as coisas mostrando aos outros que é o melhor caminho e não fazer simplesmente porque você tem o comando. Evidentemente trabalhar com o mercado às vezes não é tão fácil. Às vezes é difícil mostrar para o mercado exatamente o trabalho que você está fazendo, mas é o que tem que ser feito.

Quais são os principais desafios, diante o contexto da Cotrimaio? Minha missão na cooperativa é levantar recursos e produzir resultados para quitar todo o passivo com os associados, fornecedores e terceiros. O maior desafio é reconquistar a confiança dos nossos associados, torcer para que o clima colabore com a safra de soja e motivá-los a entregar a safra na cooperativa. "Precisamos reerguê-la com novo modelo de gestão, nova visão, sempre aberto para mudanças com visão técnica e não somente política", destacou.

Fale um pouco da relação: funcionários, associados, clientes e fornecedores.
Relação com funcionários: Eu quero funcionários com comprometimento, garra e muito trabalho, mas com férias, com divertimento, cuidando das suas famílias e de si e que sejam felizes. Quero que a cooperativa dê a volta por cima. Quero continuar aceitando os desafios, fazendo essa cooperativa crescer. Quero que ela gere empregos para os municípios e região e para isso, vou precisar da colaboração de todos os funcionários, colocando esta máquina chamada Cotrimaio a trabalhar com força total.

Relação com associados e clientes: A base de uma boa relação entre cooperativa e associado/cliente é sempre a verdade e o respeito, por mais romântico e clichê que isso possa parecer, respeitar os próprios limites e a inteligência de seu associado/cliente é fundamental e, pode fazer a diferença na ocasião da escolha de uma cooperativa para prestar um serviço, seja ele qual for. Tanto o associado quanto o cliente tem o poder de escolha sendo que, seu nome e principalmente, o nome de sua cooperativa, deve transmitir segurança e seriedade para que o associado/cliente sempre opte por voltar a trabalhar com você sem hesitar. É sempre por um conjunto de variáveis que vão desde um bom atendimento, até as informações obtidas em conversas com outras pessoas, sobre determinados serviços prestados. O preço é importante, mas não é crucial em determinadas situações. O lema da cooperativa sempre foi trabalhar com produtos de qualidade e assim será.

Relação com fornecedores: "Manter uma boa relação com seus fornecedores ajuda a melhorar o desempenho da cooperativa, além de criar uma aliança que auxilia na implantação de programas de melhoria da qualidade e da produtividade", afirma Silceu. Em busca desse conceito, o primeiro passo a tomar é fazer uma relação dos seus fornecedores atuais e potenciais prestadores de serviços. Assim, a equipe pode selecionar o que precisa e onde procurar naquele momento, sem esquecer que a atuação dessa empresa vai influenciar diretamente na imagem da sua perante o cliente. "A ligação do consumidor é com a cooperativa, por isso, é importante escolher bem quem vai representar o seu serviço, assegurando seu padrão de qualidade em todas as etapas de trabalho", analisa.

Ponderações finais aos nossos leitores? Venham comprar produtos de qualidade na rede de supermercados e lojas agropecuárias, abastecer nos postos de combustíveis, entregar leite e grãos na cooperativa. Assim vamos movimentar o financeiro da cooperativa, fortalecendo toda a comunidade. Nossos funcionários estão preparados para atender a todos os clientes e associados da melhor maneira. Se tiverem alguma sugestão, acesse o site da cooperativa www.cotrimaio.com.br - fale conosco, onde toda a comunidade pode dar suas sugestões. Serão muito bem vindas.




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

18/08/2017   |
11/08/2017   |
04/08/2017   |
28/07/2017   |
21/07/2017   |
14/07/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS