Sábado, 21 de outubro de 2017
Ano XXIX - Edição 1479
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

O juíz Corintiano...

13/07/2012 - Por Marcos Salomão
Tweet Compartilhar

O Corinthians conquistou a Taça Libertadores da América. Eu não sou corintiano, mas acabo sabendo detalhes do jogo em razão da mídia nacional não falar em outra coisa. Quando Grêmio e Inter foram campeões da América, um pequeno espaço foi cedido na imprensa para comentar e registrar o feito. Com o Corinthians não! É no jornal da manhã, no jornal do meio dia, no jornal da noite e em todos os lugares que a imprensa esportiva do centro do país tem acesso para publicar seus materiais.

Mas teve algo na semana passada, relacionado a conquista do Corinthians que chamou a atenção de todos aqueles que lidam com o Direito.

Em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, um juiz trabalhista ao iniciar a uma audiência pediu a palavra aos advogados e, após tentar a conciliação entre as partes, resolveu homenagear o Corinthians...

Então o magistrado passou a ditar para a escrevente, para que constasse em ata, o seguinte texto:
"Ao iniciar os trabalhos este magistrado pede vênia as partes e advogados presentes para prestar uma singela homenagem ao seu time do coração, o Sport Club Corinthians, pela conquista da Copa Santander Libertadores da América. Registra, assim, seu sincero agradecimento ao técnico Tite e aos jogadores Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castan, Fábio Santos, Danilo, Ralf, Paulino, Alex, Jorge Henrique e Emerson por terem feito, do dia 04.07.2012 um dos mais felizes e memoráveis para a Fiel Nação Corintiana. Expeça-se ofício com cópia da presente ata, dirigido ao Presidente do Clube, Sr. Mário Gobbi, solicitando ao mesmo que faça chegar esta homenagem ao conhecimento  das pessoas acima nominadas."

Impressionante!!! Na faculdade eu devo ter faltado a aula onde ensinavam que na ata de uma audiência trabalhista poderia ser feita uma homenagem ao time do coração.

No dia seguinte o Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª. Região emitiu uma nota a imprensa afirmando que a homenagem foi um ato isolado e expressou a opinião pessoal do magistrado e explicando que o teor e a redação da ata da audiência são de exclusiva responsabilidade do juiz que preside a sessão.

Na manhã do dia 11 o juiz corintiano publicou então no seu perfil do facebook uma nota a imprensa explicando que as homenagens em atas de audiência não são fatos isolados da magistratura local, e que esta prática ocorre com frequência quando da aposentadoria de um funcionário do Tribunal, quando morre um advogado, quando nasce o filho de um juiz entre outras situações. Aproveitou também para criticar as falas do presidente da OAB local que disse ser uma "maluquice" ou "brincadeira" a homenagem. Justificou ainda a sua alta produtividade como magistrado e disse que não é filho de gente ilustre, nem de juiz, nem de desembargador. Disse que é corintiano de coração e que já foi vigia noturno, entregador e moto-boy e que seus pais, gente simples e honesta nunca estiveram vinculados a qualquer escândalo de corrupção e se colocou a disposição dos jornalistas e da corregedoria para esclarecimentos.

    Que tal...


Das minhas leituras da madrugada:
"Quando você ensina o seu filho, está ensinando também o filho do seu filho."  (Talmude)




Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

17/04/2015   |
13/04/2015   |
13/04/2015   |
27/03/2015   |
20/03/2015   |
13/03/2015   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS