Terça-feira, 12 de dezembro de 2017
Ano XXIX - Edição 1487
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Nutritivo e com vários benefícios para a saúde

27/03/2013 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
O consumo anual de peixe do brasileiro é de nove quilos, quando o ideal, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é de 16 quilos por indivíduo/ano

Além de saboroso, o consumo de peixe é muito         nutritivo e deveria estar sempre em nossa alimentação. Para começar, o peixe é rico em proteínas, como qualquer outra carne. Por isso, quem quer deixar de lado a carne vermelha, estará bem nutrido comendo peixe. Além disso, tem grande quantidade de minerais, entre eles cálcio, fósforo, iodo e cobalto, e é também fonte das vitaminas A, D e B.
E a melhor notícia é que peixe tem pouca gordura. É claro que existem algumas espécies gordurosas, mas, em geral, o peixe tem bem menos gordura do que carne vermelha e frango, e isso faz com que sua digestão seja mais rápida.
E peixe é ótimo para quem quer perder peso e controlar o nível de colesterol no sangue. Algumas espécies de peixe, principalmente aqueles de água fria, são ricos em ômega-3, que é um tipo de gordura bastante benéfica à nossa saúde. O ômega 3 diminui o risco de doenças cardíacas, aterosclerose (endurecimento das artérias) e ajuda nas inflamações, no desenvolvimento cerebral e na regeneração das células nervosas.
E, por agir nas células nervosas, o ômega-3, encontrado no peixe, ainda pode ajudar no tratamento da depressão, ansiedade e problemas de sono. Esse tipo de gordura auxilia, ainda, no tratamento da pressão alta, na coagulação do sangue, no alivio das dores causadas pela artrite reumatóide, na proteção da pele contra raios ultravioleta e inflamações.
Por isso, o peixe é um excelente alimento para o desenvolvimento escolar de crianças e adolescentes e não pode faltar na alimentação dos idosos, já que diminui o risco de desenvolvimento do mal de Alzheimer, demência e cansaço mental.
Pode ser introduzido na alimentação da criança (juntamente com carne de boi e frango) assim que esta começar a receber os alimentos complementares  exceto se houver história familiar de alergia a peixe. Uma ótima alternativa é o cação, devido não ter espinhos. A introdução de peixe na alimentação da criança é importante, para garantir o suprimento de ferro de boa bisponibilidade e proteger-lhe do risco de anemia.
Uma boa frequência para o consumo de peixe fica em torno de três vezes por semana, podendo ser consumido mais vezes, sem problemas.


De acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares , o consumo anual de peixe do brasileiro é de nove quilos de pescado por habitante ao ano, quando o ideal, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é de 16 kg por indivíduo/ano. Em alguns Estados não banhados pelo mar, como Minas Gerais, o consumo é ainda menor: 2,5 kg por pessoa. A pesquisa também revela que os brasileiros não têm o costume de comer peixe em casa. O consumo médio domiciliar de pescados no Brasil é de 4,03kg per capita por ano. Há, no entanto, uma grande diferença regional. Com exceção do Norte, que consome 17,54kg per capita ao ano, todas as outras regiões do país têm índices baixos. O Nordeste apresenta a taxa de 4,96kg; o Sudeste de 2,06kg;
 o Sul de 1,60kg e o Centro-Oeste, de 1,62kg.



QUAL O PEIXE IDEAL PARA PREPARO
-ANCHOVA: Pode ser assada, cozida ou ensopada.
- ATUM: Pode ser grelhado na chapa ou frito, e também pode ser consumido cru, na culinária japonesa. É um peixe com gordura.
- BACALHAU: O peixe da Semana Santa. Pode ser frito, assado, cozido, ensopado ou grelhado.
- Badejo: Pode ser preparado em filés ou em postas.
- BaGRE: Frito, assado, grelhado ou cozido. Pode ter alguma rejeição devido ao sabor acentuado de terra.
- Cação: Carne branca e firme, com cartilagem. Em postas é possível fazer ensopados, grelhados e assados.
- CaRPA: Pode ser cozida, assada, frita ou empanada.
- Cavala: Carne gorda, pode ser preparada ensopada, frita, grelhada ou assada.
- CORVINA: Pode ser grelhada, assada ou preparada no vapor.
- Dourado: Carne gorda e com espinhos. Pode ser assado, recheado com farofa, em postas, frito, grelhado ou na chapa, sendo considerado o peixe mais saboroso dos rios brasileiros.
- Merluza: Carne branca e salgada, pode ser preparada em filé ou espetos na grelha.
- Linguado: Carne branca e magra, quase sem espinhos, tradicionalmente preparado em filés, pode ser frito, cozido, ou assado. Na culinária peruana, é servido cru no ceviche.
- Namorado: Carne branca e magra, quase sem espinhos, pode ser preparado inteiramente recheado e depois assado. Em postas, pode ser frito em filés ou cozido, e também ensopado.
- Pacu: Carne com poucos espinhos, pode ser preparado grelhado ou assado, sendo muito saboroso.
- Pescada: Carne branca quase sem gordura, com baixo valor calórico e poucos espinhos, pode ser preparado assada, frita ou  grelhada em filés. Ideal para dietas.
- PIAVA: Pode ser grelhada ou assada.
- Pintado: De carne rosada e com poucos espinhos, pode ser preparado grelhado, ensopado, assado ou frito, sendo muito saboroso.
- ROBALO: De carne branca e firme, é perfeito para ser assado na grelha ou no forno. Muito apreciado, também, em moquecas.
- SALMÃO: Pode ser grelhado, defumado ou assado. Muito apreciado cru, na culinária japonesa.
- Sardinha: carne escura, pode ser preparado assado, grelhado, frito ou marinada, com muito tempero.
- TAINHA: Pode ser frita, grelhada ou assada.
- TILÁPIA: Pode ser frita, cozida, grelhada ou assada.
- TRAÍRA: O ideal é que seja frita. Exige muito cuidado devido à grande quantidade de espinhos.





Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

24/11/2017   |
10/11/2017   |
29/09/2017   |
29/09/2017   |
15/09/2017   |
08/09/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS