Domingo, 23 de setembro de 2018
Ano XXX - Edição 1525
(55) 3535-1033
jsemanal@jsemanal.com.br
diagramacao@jsemanal.com.br

Colheita da soja inicia com dúvidas e boas projeções

28/03/2013 - Por Jornal Semanal
Tweet Compartilhar
De acordo com a Emater/RS-Ascar, a maioria dos produtores inicia a colheita a partir do dia 1º de abril. A estimativa é de colher 44.3 sacas por hectare

Em meio há expectativas e dúvidas, a colheita da soja iniciou no Rio Grande do Sul. O Estado espera colher uma safra histórica, porém os problemas estão concentrados nos preços e no escoamento desta produção. A colheita da soja já chegou a 20% no RS, conforme os dados da Emater/RS. A produtividade do grão se mantém em um patamar de 38 a 50 sacas por hectare.
Em Três de Maio, segundo a Emater/RS-Ascar, a maioria dos produtores começa a colheita a partir do dia 1º de abril. Conforme o engenheiro agrônomo Nelci Recalcati, a cultura está na fase final de maturação, com perdas naquelas localidades onde as chuvas foram irregulares. A estimativa ainda é de 44.3 sacas por hectare.
A abertura oficial da colheita de soja no Estado, que contou com a presença do governador Tarso Genro, iniciou no sábado, 23, em Tupanciretã. Na oportunidade, o governador assinou um projeto, o qual será encaminhado à Assembleia Legislativa, para transformar em lei o programa Mais Água, Mais Renda. Assinou, ainda, um decreto para que, a partir de agora, a aquisição de máquinas microcamalhoneiras, que possibilita semear soja, milho e outros grãos em várzeas, colaborando com a drenagem do excesso de água e, numa eventual estiagem, possibilita a irrigação das lavouras por sulcos. Pequenos e médios produtores poderão financiar até 30% do valor total e grandes, 12%.


O alto custo com o transporte

O transporte de grãos no Brasil já é mais caro que em outros países. Com base na safra de 2012, chega a ser 39% mais caro do que o americano, na comparação entre a propriedade rural até o porto em Xangai, na China, aponta a Emater/RS.         Enquanto nos EUA o produtor gasta US $ 99 para fazer dois mil km com o escoamento da produção, o brasileiro paga US $ 158 para fazer a mesma distância. Em termos de valores finais, o custo de escoamento para o produtor brasileiro é de até R$ 7,00 a mais por saco produzido, em comparação ao americano.
No Rio Grande do Sul, o custo de transporte de grãos para o porto de Rio Grande pode ser até três vezes mais caro por km/tonelada do que o seu principal competidor (EUA). A tendência, segundo a Emater/RS, é que a situação se agrave nos próximos anos. A solução seria a busca de alternativas. Como exemplo, há uma proposta de escoamento hidroviário pelos rios Taquari e Jacuí, que atravessam as principais regiões produtoras de grãos do Estado, facilitando o acesso pela Lagoa dos Patos até o porto de Rio Grande. Outra opção seria a malha ferroviária, ainda pouco investida.
Por conta destes gargalos logísticos, a China já desistiu de adquirir dois milhões de toneladas de soja devido a atrasos nos portos de Paranaguá e Santos. O assunto foi debatido na abertura oficial da colheita, em Tupanciretã. "Nosso porto de Rio Grande não enfrenta tantos problemas quanto os outros. Mas temos vários pontos do Estado onde as estradas são precárias, o que dificulta o escoamento da produção. Devemos perder de R$ 2 a R$ 3 por saca com essas deficiências",explicou o presidente da Associação dos Produtores de Soja do RS (Aprosoja) e prefeito de Tapera, Ireneu Orth.
Na região, porém, o escoamento da produção não será tão afetado, pois, como explica Recalcati, "temos uma grande frota de caminhões, o que facilita o escoamento".


Preço

Segundo a Emater/RS, a cotação do produto teve uma leve queda na última semana. A saca de 60 quilos está cotada, em média, em R$ 56,02, queda de 1,4% em relação à semana anterior. Em Três de Maio, trabalha-se com R$ 50 a saca. O atraso nos portos brasileiros pode ter causado o recuo dos preços, pois houve pressão sobre os prêmios.


Expectativa de produção

A expectativa é de que a safra deverá injetar R$ 12,3 bilhões na economia gaúcha. As projeções iniciais da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) são de que a produção gaúcha de soja chegue a 12,2 milhões de toneladas, o que seria a maior safra de soja no Estado. A Emater/RS projeta que sejam colhidas 11,84 milhões de toneladas. Em 2011, segundo o IBGE, foram colhidos 11,717 milhões de toneladas, o que se configurou como a maior safra da história no Estado.



Indicar a
um Amigo

Comentários

Deixe a sua opinião

Veja Também

27/07/2018   |
18/05/2018   |
27/04/2018   |
02/03/2018   |
14/07/2017   |
23/06/2017   |




Todos os direitos reservados - Jornal Semanal - Três de Maio - RS